Comissão Política do PSD eleita com 88 por cento dos votos

| Política

A equipa proposta pelo presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, para a Comissão Política do partido foi hoje eleita pelo XXXIV Congresso social-democrata com 88 por cento cento dos votos.

O presidente da Mesa do Congresso do PSD, Fernando Ruas, anunciou que participaram nesta votação 745 congressistas, dos quais 657 votaram favoravelmente a lista proposta por Passos Coelho, que tem Matos Rosa como secretário-geral e Jorge Moreira da Silva como primeiro vice-presidente.

Foram também eleitos vice-presidentes Nilza Sena, Manuel Rodrigues, Marco António Costa, Teresa Leal Coelho e Pedro Pinto, sendo estes dois últimos as novidades desta equipa de direção, em substituição de Paula Teixeira da Cruz e Diogo Leite Campos, que deixaram a Comissão Política do PSD.

Foram ainda eleitos vogais da Comissão Política Desidério Silva, Fernando Armindo Costa, Fernando Jorge, Hermínio Loureiro, José António Jesus, Maria da Conceição Pereira, Maria Trindade, Paulo Júlio, Rodrigo Moita de Deus e Rogério Gomes.

Destes, só Rodrigo Moita de Deus, Fernando Armindo Costa e José António Jesus não pertenciam à anterior direção do PSD.

Há dois anos, a Comissão Política proposta por Pedro Passos Coelho foi eleita pelo Congresso do PSD com 87,2 por cento de votos favoráveis, 677 num total de 774 votantes.

Tópicos:

Armindo, Conceição, Cruz Diogo, Desidério, Rodrigo Moita Deus,

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    Jorge Paiva, botânico e professor, um dos maiores peritos da floresta, critica em entrevista à Antena 1 o desinteresse generalizado dos políticos pelos problemas da floresta.

    É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

    Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.