Diretor-geral da Energia foi substituído antes de novo corte à EDP

por RTP

O ex-diretor geral da Energia foi exonerado a meio de um lote de cortes às rendas da EDP que poderia atingir os 658 milhões de euros. Mário Guedes já tinha concluído o processo que levou a um primeiro corte de 285 milhões, mas ainda tinha em mãos outros dois que poderiam ter grandes reflexos no preço da eletricidade.

Estes dois dossiers estão agora nas mãos do novo diretor geral da Energia e do secretário de Estado que exonerou Mário Guedes.

João Galamba diz que a mudança foi por uma questão de perfil. O seu antecessor, Seguro Sanches, garante que ficou muito surpreendido com a decisão.