Em direto
Euro2024. Decide-se o grupo C da competição

Fenprof fala em injustiça nas colocações dos decentes

por Antena 1

Foto: Manuel de Almeida - Lusa

A Federação Nacional de Professores, Fenprof, fala na criação de injustiças por parte do Ministério da Educação, na elaboração da lista de colocação de professores nas escolas.

Mario Nogueira diz que as injustiças se devem aos procedimentos legais, que o ministério impõe, bem como em não colocar docentes dos quadros da zona pedagógica em horários incompletos.

O sindicalista afirma ainda que, este novo modelo de colocação de professores nas escolas, duplicou o número de docentes sem componente letiva atribuída.

"Em setembro após as colocações nesta fase, através da mobilidade interna 2016, ficaram com horário zero, 1572 docentes, atualmente são 2352 dos quadros", diz Mário Nogueira.
pub