Legislativas. Começa a votação antecipada para doentes internados e reclusos

por Inês Moreira Santos - RTP
Lusa

A par do arranque da campanha, que teve início no domingo, começaram também as inscrições para o voto em mobilidade. E esta segunda-feira dá-se início à votação antecipada para doentes internados e reclusos, que podem exercer o seu direito de voto até dia 29 de fevereiro.

Os cidadãos internados e detidos inscritos para votar antecipadamente nestas legislativas são mais 26,8 por cento do que em 2022, o que representa um acréscimo de quase mil eleitores. Segundo os dados da Administração Eleitoral da Secretaria-Geral da Administração Interna, inscreveram-se nesta modalidade de voto 4.381 cidadãos até ao passado dia 19.

Destes eleitores que requereram o voto antecipado, 683 são doentes internados e 3.698 são presos não privados de direitos políticos. Entre os dias 26 e 29 deste mês, o presidente da Câmara dos municípios onde estão recenseados desloca-se aos estabelecimentos, sejam prisões, hospitais ou outros, para recolher os votos.

Comparativamente aos registos deste ano, em 2022 inscreveram-se 399 doentes internados e 3.057 presos para votarem antecipadamente. Do universo de 3.456 inscritos, apenas 3.392 exerceram o voto antecipado.Na distribuição dos 4.381 eleitores inscritos por distrito, destaca-se o de Lisboa, com 1.645 cidadãos internados e presos. No do Porto são 669.

Igualmente até quinta-feira decorre a inscrição para o voto antecipado em mobilidade. Quem o fizer poderá votar uma semana antes das eleições, a 3 de março, em qualquer ponto do país.

As inscrições são efetuadas online - em votoantecipado.mai.gov.pt - ou por correio para a Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna e tiveram início no domingo. Quem se inscrever mas não puder ir votar no dia 3 poderá fazê-lo a 10 de março no local habitual, onde está recenseado.

O voto antecipado em mobilidade, em território nacional, tem de ser exercido no dia 03 de março, ou seja, sete dias antes das eleições, numa mesa a constituir em cada município, escolhida pelo eleitor.

c/ Lusa
Tópicos
pub