Eunice Muñoz e Ruy de Carvalho apadrinham inauguração da Casa das Artes de Felgueiras

| Cultura

Os atores Eunice Muñoz e Ruy de Carvalho vão ser os padrinhos da Casa das Artes de Felgueiras, um novo espaço cultural que vai ser inaugurado no dia 30 de setembro, revelou hoje à Lusa fonte da autarquia.

Este equipamento traduz a remodelação do antigo cineteatro Fonseca Moreira que se encontrava bastante degradado, ao qual foi acrescentado um novo espaço, contíguo, que funcionará como café-concerto.

A obra, que custou mais de quatro milhões de euros, foi iniciada no último mandato da autarca Fátima Felgueiras e aparentemente concluída há cerca de dois anos.

No entanto, a sua abertura foi sendo sucessivamente adiada pelo novo executivo PSD/CDS, que ganhou as eleições autárquicas, em outubro de 2009.

Os novos autarcas alegaram sempre que a obra não estava concluída, ao contrário do que defendera publicamente Fátima Felgueiras, atualmente vereadora na oposição.

Para o fim de semana de 30 de setembro a 02 de outubro, além de uma homenagem aos atores Eunice Muñoz e Ruy de Carvalho, a autarquia está a preparar um programa que incluirá peças de teatro, com entrada gratuita, e a possibilidade de a população poder visitar o interior do equipamento.

A Casa das Artes de Felgueiras, que será gerida pela empresa municipal para a área da cultura, ACLEM, será o maior e o mais completo equipamento cultural da região do Vale do Sousa.

Neste equipamento trabalharão em permanência entre 12 a 15 pessoas.

Segundo a fonte, a sala de espetáculos será palco de animação cultural frequente, "abrindo portas a diferentes manifestações artísticas", incluindo as que são protagonizadas pelas associações do concelho.

Tópicos:

Eunice Muñoz Ruy,

A informação mais vista

+ Em Foco

Na Grande Entrevista da RTP, o ministro João Matos Fernandes lamentou que os problemas ambientais sejam muitas vezes menorizados.

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.