Revista cultural Gerador sai para as bancas em formato 3D na segunda-feira

| Cultura

A revista Gerador, criada por uma plataforma de promoção da cultura portuguesa, vai sair para as bancas na segunda-feira com o título "Patrimónios" e em versão 3D, acompanhada dos óculos especiais para o formato.

De acordo com a organização, esta sexta edição da revista, hoje lançada, conta com uma fotonovela do realizador Edgar Pêra, um texto de Afonso Cabral, vencedor do Prémio Leya 2014, uma conversa entre Fernando Alvim e o encenador Jorge Silva Melo, entre outros conteúdos.

A revista, dirigida por Pedro Saavedra, com edição trimestral, será acompanhada de uns óculos especiais para que possa ser lida de forma a potenciar o usufruto de alguns dos seus conteúdos.

"Patrimónios" é o tema principal e a calçada portuguesa será o monumento Gerador desta edição, que conta ainda com vários colaboradores convidados, como a Dupla Falcão/Lucas (Tânia Falcão e Luís Lucas), conhecidos internacionalmente pelo trabalho em arte digital, e que aceitaram o convite para fazer todo o design desta edição.

Neste sexto número, Cláudia Jardim faz uma visita guiada à rua das Gaivotas, em Lisboa, que agora acolhe, entre outros projetos, o Teatro Praga, o Cineclube das Gaivotas, d`Os Filhos de Lumière, e o atelier Artéria, no âmbito do processo de reabilitação do Palácio Alarcão.

Ana Morais celebra igualmente os 40 anos de carreira de Sérgio Godinho, entre outros conteúdos desta edição.

A revista Gerador faz parte do projeto com o mesmo nome, uma plataforma de ação e comunicação para a cultura portuguesa, promovendo autores e entidades de várias áreas, desde a arte ao cinema, à literatura ou à banda desenhada, aos costumes populares e aos ofícios.

Tópicos:

Alarcão, Artéria, Filhos, Praga Cineclube,

A informação mais vista

+ Em Foco

A Redação da RTP votou sobre as figuras e acontecimentos mais destacados, a nível nacional e internacional. Veja aqui as escolhas.

    Em entrevista à RTP, Santana Lopes defendeu que o estado de graça do Governo de esquerda acabou.

    Entrevistado na RTP, Rui Rio não afastou a possibilidade de um bloco central com o PS em condições extraordinárias.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.