Associação do setor eletrónico contra nova taxa sobre equipamentos de gravação

| Economia
Associação do setor eletrónico contra nova taxa sobre equipamentos de gravação

Foto: Dado Ruvic/Reuters

A Associação Empresarial dos Setores Elétrico, Eletrodoméstico, Fotográfico e Eletrónico (AGEFE) critica a nova taxa que o Governo pretende implementar sobre todos os equipamentos que permitam gravar ficheiros, nomeadamente telemóveis e tablets. A medida deve ser discutida esta quinta-feira em Conselho de Ministros.

Em declarações ao programa da Antena 1 “Antena Aberta”, o diretor executivo da AGEFE defende que os consumidores não devem pagar mais do que uma vez pelos direitos de autor, até porque não se trata de pirataria: “Estamos a falar de cópia privada, isto é, a cópia de algo que se comprou legalmente. Isto não tem nada que ver com a pirataria”.

“O que acontece hoje com enorme frequência e de forma exponencialmente crescente é que aquilo que eu compro é o acesso a uma obra e quando se paga esses serviços os autores são remunerados por isso, pelo que não faz qualquer sentido que eu volte a pagar para ter essa obra em minha posse e volte a pagar se tiver um cartão de memória e por aí fora”, sublinha José Valverde.

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à RTP, a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, garantiu que enquanto tiver confiança do primeiro-ministro não vai sair do Executivo.

Jorge Paiva, botânico e professor, um dos maiores peritos da floresta, critica em entrevista à Antena 1 o desinteresse generalizado dos políticos pelos problemas da floresta.

É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.