Associações de transportes prometem luta ao Governo

| Economia
Associações de transportes prometem luta ao Governo

Foto: Lusa

Uma das medidas que deve constar do Orçamento do Estado é o aumento do imposto sobre os combustíveis. O agravamento de quatro a cinco cêntimos previsto no esboço inicial pode afinal ser superior, o que reforça a preocupação dos transportadores de mercadorias.

A Associação Nacional de Transportadoras Portuguesas avisa que o aumento anunciado de quatro a cinco cêntimos por litro nos combustíveis é prejudicial para a economia. Admite, por isso, partir para a luta.

Márcio Lopes, representante daquela estrutura, diz que mesmo que cinco cêntimos representam milhares de euros no fecho das contas.

Também o presidente da Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias, Gustavo Paulo Duarte, está preocupado com o agravamento e questiona se é o sector que tem de pagar os acordos à esquerda.

“É uma afronta aos empresários que trabalham no sector dos transportes”, diz o responsável.

Se este aumento for por diante, as empresas transportadoras não têm dúvidas de que voltam a perder competitividade face a Espanha.

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    Jorge Paiva, botânico e professor, um dos maiores peritos da floresta, critica em entrevista à Antena 1 o desinteresse generalizado dos políticos pelos problemas da floresta.

    É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

    Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.