Negócio de cogumelos gourmet para ajudar sem-abrigo do Porto

| Economia

Cogumelos `gourmet` vão começar a ser cultivados este mês em campos agrícolas da Associação de Albergues Noturnos do Porto (AANP), com o objetivo de obter receitas para ajudar os sem-abrigo da cidade.

"Vamos poder vender cogumelos `gourmet` em fresco, secos ou em estado aquoso para as indústrias farmacêutica e de cosmética", contou hoje à Lusa o diretor técnico da AANP, revelando que a produção arranca este mês de novembro em campos agrícolas de Penafiel (Porto).

O diretor técnico, Miguel Neves, acrescenta que a comercialização vai ser feita "numa linha de concorrência de mercado" e que o produto vai começar a ser comercializado a partir de "abril de 2013".

O projeto inovador de produção de cogumelos `gourmet` vai criar, inicialmente, cinco postos de trabalho -- um permanente e quatro sazonais -- e as receitas revertem para a Associação de Albergues Noturnos do Porto, com o objetivo ganhar uma maior autossustentabilidade financeira.

Aumentar a autossuficiência é imprescindível para a AANP, pois cerca de 40 por cento das verbas necessárias para as despesas da instituição provêm de donativos que começam a escassear em tempos de crise, explica aquele responsável.

Os restantes 60% das despesas da AANP são cobertas pela Segurança Social.

A produção de cogumelos `gourmet` é apoiada pela Fundação EDP, Universidade Católica e algumas empresas portuguesas.

Os dois albergues do Porto, um localizado na Rua Mártires da Liberdade e outro em Campanhã, têm capacidade para alojar 82 pessoas e distribuem 15 mil refeições mensais.

Tópicos:

EDP, Penafiel,

A informação mais vista

+ Em Foco

Um mês depois dos incêndios, ainda há raízes em combustão sob a terra no concelho de Pedrógão Grande. Reunimos aqui um conjunto de vídeos em 360 graus captados no local.

A 17 de junho, Portugal começou a assistir ao mais mortífero incêndio de sempre. A paisagem de Pedrógão Grande mantém-se em tons de sépia. Um cenário captado pelo fotojornalista Pedro A. Pina.

    Nos últimos dois anos a RTP ouviu três vozes com diferentes perspetivas do conflito israelo-palestiniano: Miko Peled, Shahd Whadi e Tamir Ginz.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A caminho das autárquicas a Antena 1 fixa o país em 20 retratos.