Parcerias público-privadas são negócios de risco zero para os privados

| Economia
Parcerias público-privadas são negócios de risco zero para os privados

O editor de Economia da RTP, Paulo Ferreira, explica como funcionam as parcerias público-privadas, sublinhando que são negócios de risco zero para os privados.

No espaço de comentário económico diário da Antena1 “Contas do Dia”, Paulo Ferreira analisa o relatório do Tribunal de Contas que aponta as antigas SCUT como um exemplo de negócio que beneficiou as concessionárias e prejudicou os cofres do Estado.

Paulo Ferreira afirma que a grande questão é o risco, porque os privados conseguem fazer negócios sem qualquer risco.

De facto, o Tribunal de Contas recomenda neste relatório que de futuro só se avance para parcerias público-privadas depois de um estudo que prove os benefícios para as contas públicas, e mediante um amplo consenso que inclua o Parlamento.


Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

Num contexto de retorno do medo ao Reino Unido, a diplomata britânica Kirsty Hayes aponta a importância de todos os habitantes de Londres estarem unidos.

Foram mais de três horas de debate a cinco mas sem grandes novidades. Le Pen defendeu o fim da imigração. Macron foi atacado pelas ligações à banca.

Estarão os nossos equipamentos comprometidos? O especialista em cibersegurança Pedro Queirós alerta para um problema "assustador".

    Em São Bento, uma fotografia denuncia a localização da Fundação Mário Soares, uma instituição de utilidade pública, cujo futuro está ainda a ser pensado.