Parcerias público-privadas são negócios de risco zero para os privados

| Economia
Parcerias público-privadas são negócios de risco zero para os privados

O editor de Economia da RTP, Paulo Ferreira, explica como funcionam as parcerias público-privadas, sublinhando que são negócios de risco zero para os privados.

No espaço de comentário económico diário da Antena1 “Contas do Dia”, Paulo Ferreira analisa o relatório do Tribunal de Contas que aponta as antigas SCUT como um exemplo de negócio que beneficiou as concessionárias e prejudicou os cofres do Estado.

Paulo Ferreira afirma que a grande questão é o risco, porque os privados conseguem fazer negócios sem qualquer risco.

De facto, o Tribunal de Contas recomenda neste relatório que de futuro só se avance para parcerias público-privadas depois de um estudo que prove os benefícios para as contas públicas, e mediante um amplo consenso que inclua o Parlamento.


Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

O presidente da Câmara dos Comuns é, digamos assim, o equivalente ao presidente da Assembleia da República em Portugal.

Neste Manual do Brexit, explicamos em 12 pontos o que está em causa e os cenários que se colocam.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      A entrevista ao ativista de Direitos Humanos para o programa Olhar o Mundo.