Central nuclear sueca esteve entupida por alforrecas

| Mundo

|

O reactor 3 da central de Oskarshamns, na costa do Báltico, está paralisado há cinco dias devido a uma invasão de alforrecas, que entupiram as tubagens de arrefecimento do reactor. Os responsáveis das operações de limpeza anunciaram ontem que a central está em condições de retomar o funcionamento.

Segundo disse um porta voz da central, interpelado pelo diário norte-americano New York Times, já em 2005 sucedera uma crise semelhante. Também então o funcionamento da central foi suspenso, como medida cautelar. E regularmente, sempre que chega o Outono, tem sido necessário proceder a uma limpeza das alforrecas que se acumulam nos tubos de arrefecimento.

Uma investigadora do Instituto Sueco para o Meio Ambiente, Lene Moller, explica a recorrência do problema porque "baixa a concentração de oxigénio, desaparecem os peixes e elas [as alforrecas] ocupam o ecosistema".

E, com efeito, foi grande a quantidade de alforrecas que entupiu os tubos de arrefecimento da central nuclear: os operários que trabalharam na limpeza das instalações durante estes cinco dias declararam ter retirado várias toneladas de alforrecas.

Tópicos:

Fukushima, alforreca, nuclear, Suécia,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 2018 não há aumentos salariais para a função pública. Mas avança o descongelamento faseado de carreiras.

Há muitas perguntas no caminho e muitas respostas que só o caminho pode dar. Pela Última Vez - Histórias sobre o fim que não acaba é o título de uma grande reportagem de Isabel Meira para a rádio pública.

Um atentado suicida em Manchester provocou 22 mortos e dezenas de feridos. A explosão decorreu no final de um concerto da digressão de Ariana Grande Dangerous Woman Tour.

    Acompanhe aqui a edição deste ano com a emissão web em direto.