Dois alegados cúmplices do atentado de Paris em 2015 acusados na Bélgica

| Mundo

|

Dois homens foram acusados pelas autoridades belgas pelo alegado envolvimento nos atentados de Paris, em 2015, anunciou hoje a Procuradoria Federal em Bruxelas, através de um comunicado.

As autoridades belgas acrescentam que, supostamente, os dois indivíduos entregaram os documentos falsos que Khalid El Bakraoui utilizou na preparação do atentado na capital francesa.

El Bakraoui acabou depois por morrer durante um atentado suicida na estação de metropolitano de Maelbeek, em Bruxelas.

O comunicado refere que o juiz de Instrução belga, especializado em terrorismo, acusou e ordenou hoje a prisão de Farid K, pela alegada participação em atividades de um grupo extremista, falsificação e utilização de documentos falsos.

O outro suspeito, Meryem E.B., foi também acusado de falsificação de documentos mas foi-lhe concedida liberdade condicional.

A Procuradoria acrescenta no mesmo documento que não vai, por agora, fornecer mais informações sobre os dois indivíduos porque as investigações ainda estão em curso.

Tópicos:

Maelbeek, Paris,

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    Jorge Paiva, botânico e professor, um dos maiores peritos da floresta, critica em entrevista à Antena 1 o desinteresse generalizado dos políticos pelos problemas da floresta.

    É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

    Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.