Antigo conselheiro das comunidades portuguesas em Londres diz que "existe uma trapalhada no recenseamento"

| País
Antigo conselheiro das comunidades portuguesas em Londres diz que existe uma trapalhada no recenseamento

Foto: Lusa

O antigo conselheiro das comunidades portuguesas em Londres, Gabriel Fernandes, explicou à Antena 1 porque é que os portugueses que residem no estrangeiro estão cada vez mais afastados da participação nas eleições.

Dificuldades nas deslocações aos consulados, problemas com o sistema informático e nomes que são apagados das listas quando se tira o cartão do cidadão.

Estes são alguns dos problemas que vão fazer com que muitos portugueses residentes no estrangeiro não possam votar nas próximas eleições legislativas. Com a nova lei que entrou em vigor em abril, os emigrantes são obrigados a fazerem o recenseamento, não bastando - como até agora - estarem inscritos nos consulados.

O prazo para o recenseamento termina esta quarta-feira e só uma pequena minoria terá feito essa inscrição, e alguns viram mesmo os nomes apagados dos cadernos eleitorais depois de terem pedido o cartão de cidadão.

No Reino Unido, dos cerca de 300 mil emigrantes registados só perto de 2 mil estão recenseados.

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    O incêndio de Pedrógão Grande provocou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 pessoas feridas. Revisitamos os últimos dias com fotografias e imagens aéreas captadas com recurso a um drone.

      É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

      Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.