Muitos portugueses emigram para a miséria, alerta associação de apoio à emigração em França

| País
Muitos portugueses emigram para a miséria, alerta associação de apoio à emigração em França

De janeiro a setembro foram quase 25 mil os portugueses que anularam as inscrições nos centros de emprego e emigraram.

As estatísticas mostram um aumento brutal de desempregados que abandonaram o país, à procura de uma vida melhor.

Do início do ano e até setembro aumentou 45% o número de desempregados portugueses que desistiu do país e emigrou, à procura de melhor vida.

Mas a emigração nem sempre é solução. Em França estão a aumentar os casos de emigrantes portugueses que não conseguem trabalho e não têm apoio para sobreviver.

O presidente da Associação Portuguesa de Pontault-Combault - uma das maiores associações de apoio à comunidade e à emigração portuguesa em França - diz que são cada vez mais os casos de cidadãos portugueses, e por vezes famílias inteiras, que estão numa situação muito difícil em França.

Mário Castilho diz que nesta altura a situação é tão má, e talvez mesmo pior que nos anos 60.

São casos em que a emigração foi apenas uma viagem com destino à miséria em França. São cada vez mais os portugueses que encontram muitas dificuldades ao tentarem vida melhor em terras francesas.

A informação mais vista

+ Em Foco

Os portugueses escolhem os seus representantes locais a 1 de outubro. Acompanhe aqui a campanha, os debates e toda a informação sobre as eleições Autárquicas.

    A deriva independentista do nacionalismo catalão está a revelar-se mais grave do que Madrid previa inicialmente. Temos posições que não permitem qualquer margem para diálogo e que conduziram o processo a um impasse.

    Um ensaio do LNEC e do Instituto Superior Técnico, no âmbito do KnowRisk, evidencia a importância da tomada de medidas preventivas. Veja os vídeos e compare os dois casos.

    A Alemanha aproxima-se da data do escrutínio de 24 de Setembro com uma economia próspera: muita exportação, muita construção, receitas fiscais abundantes, orçamentos públicos excedentários. O reverso da medalha é a degradação de condições sociais para uma parte significativa da população.