Pelo menos dois mortos e um desaparecido em derrocada nos Açores

| País

Foto: Eduardo Costa, Lusa

Duas pessoas morreram e uma outra desapareceu esta madrugada durante um deslizamento de terras que ocorreu na freguesia de Faial da Terra, em São Miguel. O Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou sob aviso vermelho os grupos Central e Oriental dos Açores, devido ao mau tempo que se abate sobre o arquipélago.

Na freguesia de Faial da Terra houve um deslizamento de terras que atingiu três residências. As autoridades estão no local a tentar resgatar os corpos de dois irmãos que terão morrido dentro de casa.



Ainda na ilha de São Miguel, a Ribeira Quente amanheceu isolada. A estrada de ligação das Furnas à Ribeira Quente está intransitável.

Há também registo de estragos na Ilha Terceira. Em Porto Judeu regista-se pelo menos uma pessoa ferida, para além de casas inundadas e automóveis arrastados pela força da água que transbordou de uma ribeira.

Nos Açores está a chover de forma intensa desde segunda-feira e há previsão de continuação de chuva e vento forte durante pelo menos mais dois dias. O Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou entretanto as ilhas de Santa Maria, São Miguel, Terceira, São Jorge, Faial, Pico e Graciosa sob aviso vermelho, o mais grave de uma escala de quatro níveis.
"Autoproteção"
Por sua vez, a Proteção Civil dos Açores recomenda às populações "medidas de autoproteção" e "comportamentos adequados", perante as previsões de chuva e vento intensos para as ilhas debaixo de aviso vermelho.

O Serviço Regional de Proteção Civil aconselha, designadamente, a "desobstrução dos sistemas de escoamento das águas e a retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento". Recomenda ainda que se mantenham "limpos os sistemas de drenagem", assim como a consolidação de telhados, portas e janelas.

Aos automobilistas é pedido que façam "uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo cuidado com a possível formação de lençóis de água nas vias". Sugere-se ainda "especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas".

(com Sandra Henriques e Carlos Santos Neves)

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

Nasceu em 1951 aquele que é conhecido como o primeiro centro comercial em Portugal.

    A curda Mina Jaf é diretora da Women Refugee Route e trabalha com a ONU. Diz que quer mostrar às refugiadas que têm de sair das tendas dos campos e contar a violência de que são alvo.

      Um velho enigma pode estar explicado: por que continua a ilha de Santa Maria a erguer-se acima do nível do mar? Ricardo Ramalho resume para o RTP online a investigação mais recente sobre o tema.

        Uma rubrica do site da RTP e do Jornal 2 dentro do contexto evocativo do centenário da Grande Guerra. Emitida todas as segundas-feiras.