Quercus diz que produção de resíduos perigosos no país é desconhecida

| País
Quercus diz que produção de resíduos perigosos no país é desconhecida

Foto: Reuters/Mohamed Azakir

A Quercus lamenta que o Ministério do Ambiente não conheça a quantidade de resíduos industriais perigosos produzida no país, permitindo que toneladas destes resíduos possam ser encaminhadas para situações ilegais.

Os ambientalistas não acreditam no número avançado à Antena1 pelo presidente da Agência Portuguesa do Ambiente, Nuno Lacasta, que quantifica em 254 mil toneladas a produção de resíduos perigosos no ano passado, ao mesmo tempo que assegura que, no essencial, não se perde o rasto dos residuos perigosos em Portugal.

Rui Berkemeier, da Quercus, contrapõe afirmando que esse número é relativo a um estudo e não à situação real que se vive no país. E acusa os serviços do Ministério do Ambiente de não terem capacidade para obterem um levantamento preciso da produção de resíduos perigosos.

Esta discussão surge na sequência da investigação da jornalista da Antena1 Rita Colaço, que pode conferir aqui.

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

O novo líder do PSD promete dialogar com todos os partidos nesta legislatura, mas tem consciência de que dois anos é pouco tempo para apresentar todas as propostas que defende.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Foram sinalizados casos de mutilação genital numa escola da Baixa da Banheira. Uma associação trabalha com turmas. Ainda há rapazes que defendem a "submissão" como "saudável".

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.