Proibido captar imagens e som na conferência sobre reforma do Estado

| Política
Proibido captar imagens e som na conferência sobre reforma do Estado

Foto: José Sena Goulão/Lusa

A conferência “Pensar o futuro – um Estado para a sociedade”, organizada pela ex-dirigente social-democrata Sofia Galvão a pedido do primeiro-ministro, começou envolta em polémica. Os jornalistas foram impedidos de gravar depois da abertura e a Antena1 decidiu sair da sala. Do lado de fora, os empresários de diversão protestavam por não terem sido autorizados a participar no debate.

A polémica estalou quando Sofia Galvão anunciou que estavam proibidos registos de imagem e som, exceto na sessão de abertura e de encerramento. “A permanência de jornalistas na sala pode manter-se, mas não haverá citações de nada que aqui seja dito sem expressa autorização dos citados”, referiu.

Perante estas condições, a Antena1 decidiu sair da sala, tal como a maioria dos jornalistas presentes na sala do Palácio Foz, em Lisboa. Do lado de fora do edifício estavam em protesto silencioso cerca de duas dezenas de empresários de diversão.

O presidente da Associação Portuguesa de Empresas de Diversão, Luís Paulo Fernandes, não compreende por que razão não lhe foi permitido participar na conferência que debate a reforma do Estado.

(com Sandra Henriques)

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Kim e Donald passaram do insulto à vontade mútua de fazer história. Bem-vindos à era das ilusões.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.