"A Portuguesa" com costela alemã

A Portuguesa
Coleção António Ventura
| Portugal na I Grande Guerra



Depois de apresadas dezenas de navios alemães nos portos portugueses e tendo a Alemanha declarado guerra a Portugal em Março de 1916, decide o governo expulsar de Portugal todos os súbditos alemães, exceptuando os alemães de sexo masculino entre os dezasseis e os 45 anos que foram enviados para campos de concentração ou depósitos de concentrados.

E mais: decidiu retirar-se a nacionalidade portuguesa aos alemães naturalizados portugueses, aos filhos de alemães, mesmo que nascidos em Portugal, e até quem tivesse apenas bisavós alemães precisava de autorização para ficar em território luso. 

Isto criou uma vaga de requerimentos entre os cidadãos alemães, ou filhos de alemães residentes em Portugal, como foi o caso de Carolina Michaëlis de Vasconcelos, para os quais se abriu uma excepção. 

Aquilo com que o governo não contava era que houvesse uma ilustríssima figura - tão ilustre que nunca poderia ser expulsa - um facto aproveitado pela imprensa da época. 

Estando em vigor a "censura preventiva", muitos destes textos não chegaram a ser publicados. 


Ver completo
Hemeroteca Municipal de Lisboa 


Hemeroteca Municipal de Lisboa 

O humor aparentemente também era considerado "boato ou informação capaz de alarmar o espírito público ou de causar prejuízo ao Estado, quer à sua segurança interna quer externa", ou fazendo" afirmação ofensiva da dignidade ou do decoro nacional". 

Ao expulsarem os alemães, o governo esqueceu-se que o hino nacional "A Portuguesa" era afinal fruto do " sr. Alfredo Keil filho d'um allimão. Logo a Portuguesa é neta d'um allimão e portanto está incursa na lei publicada há dias. D'aqui é que não há que fugir. 

A Portuguesa é allimã e allimã dos quatro costados." 

 
Hemeroteca Municipal de Lisboa 

Mas os próprios aliados, neste caso França, haviam já criticado o hino nacional. 


Biblioteca Nacional de Portugal    

A informação mais vista

+ Em Foco

Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

    Entrevista Olhar o Mundo a um dos autores e investigadores militares mais reconhecidos do mundo anglo-saxónico.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.