Concorrente dos Países Baixos excluído da Eurovisão

por Mariana Ribeiro Soares - RTP
Jessica Gow via Reuters

O artista holandês Joost Klein foi expulso este sábado da final da Eurovisão. O cantor está a ser investigado pela polícia sueca na sequência de uma denúncia feita por uma mulher da equipa de produção após um "incidente" na semifinal do concurso.

“A polícia sueca está a investigar uma denúncia feita por uma mulher da equipa de produção devido a um incidente ocorrido após a sua apresentação na semifinal de quinta-feira à noite”, anunciou a European Broadcasting Union (EBU), que organiza a Eurovisão, em comunicado.

“Enquanto o processo legal decorre, não seria apropriado que ele continuasse a participar da competição”, explica, acrescentando que o comportamento do cantor “é considerado uma violação das regras do concurso”.

“Mantemos uma política de tolerância zero em relação a comportamentos inadequados no nosso evento e estamos comprometidos em fornecer um ambiente de trabalho seguro para todos os funcionários do concurso. À luz disso, o comportamento de Joost Klein em relação a um membro da equipa é considerado uma violação das regras do concurso”, explica a EBU.

A EBU anunciou, na sexta-feira, que estava a investigar um incidente que envolvia Joost Klein, de 26 anos. A canção dos Países Baixos, intitulada "Europapa", era uma das favoritas das casas de apostas.

A emissora holandesa Avrotros considera a expulsão de Joost Klein “desproporcionada”. Em comunicado enviado à AFP, a emissora disse estar “chocada” com a decisão da EBU, que “lamenta profundamente”.

A Fundação holandesa para radiodifusão pública, NPO, classificou a decisão como “muito radical”. “Isto é uma desilusão para milhões de fãs da Eurovisão na Holanda e noutros países europeus”, afirmou.

“Avaliaremos minuciosamente o curso dos acontecimentos após o Festival Eurovisão da Canção com Avrotros, a EBU e todas as outras partes envolvidas”, acrescentou.

Joost Klein participou esta sexta-feira no ensaio do desfile de bandeiras, que marca o início da cerimónia final do concurso, marcada para este sábado. No entanto, o representante dos Países Baixos não apareceu em palco quando chegou a sua vez de atuar, em 5.º lugar, antes da candidata de Israel, Eden Golan.

Desde que o artista foi afastado dos ensaios finais da Eurovisão, na sexta-feira, as especulações apontavam para um possível confronto entre Klein e membros da equipa de produção relacionado com a controversa participação de Israel no concurso. 

Durante a conferência de imprensa que se seguiu à semfinal, Joost Klein protagonizou uma situação tensa ao manifestar o seu desacordo com o facto de ter sido colocado ao lado da representante israelita, Eden Golan.

A EBU já veio garantir, no entanto, que o incidente que levou à expulsão do concorrente holandês não está relacionado com a controvérsia em torno de Israel.
Sede da televisão pública finlandesa invadida por manifestantes
O conflito israelo-palestiniano está a marcar esta edição da Eurovisão.

Este sábado, a sede da televisão pública finlandesa foi invadida por manifestantes que exigem um boicote à participação de Israel na final do Festival Eurovisão da Canção.

Os ativistas entendem que permitir a participação de Israel neste concurso é branquear a imagem de Telavive.

O tema "Hurricane" com que Israel se apresenta neste Eurofestival foi a terceira proposta do país, depois da organização do concurso ter rejeitado duas canções por letras consideradas políticas.

A final do Eurofestival acontece este sábado em Malmo, na Suécia, onde está previsto um protesto contra a participação de Israel e em defesa do fim da guerra em Gaza.
pub