Livro ilustrado de Francesca Sanna sobre migrações é editado em Portugal esta semana

| Cultura

"A viagem", o premiado livro ilustrado para a infância da autora italiana Francesca Sanna, sobre uma família destroçada pela guerra, obrigada a migrar, é editado este mês em Portugal.

Com selo da Editora 2020, a edição portuguesa tem o apoio do Alto Comissariado para as Migrações e da Amnistia Internacional, sendo editado na semana em que se assinala - dia 20 - o Dia Mundial do Refugiado.

Traduzido já em 14 línguas, "A viagem" é o primeiro livro ilustrado de Francesca Sanna, saiu em 2016 e conta a história de uma família dividida pela guerra. O pai morre e a mãe é obrigada a fugir com os dois filhos, numa viagem de angústia e ansiedade em busca de segurança, espelho da realidade recente de milhares de migrantes e refugiados.

"`A viagem` é na verdade uma história sobre muitas viagens e começou com a história de duas raparigas que conheci num campo de refugiados em Itália. Depois de as conhecer, apercebi-me de que havia algo muito poderoso por trás da sua viagem. Comecei, então, a recolher mais histórias de migraçõa e a entrevistar muitas pessoas de inúmeros países", escreveu a autora no final do livro.

A obra ilustrada, destinada a crianças e adultos, reúne - naquela família ficcionada - "uma colagem de todas essas histórias de vida" que a autora escutou, e inclui ainda uma investigação histórica sobre imigração, no começo do século XX.

"Quase todos os dias ouvimos nas notícias as palavras `migrantes` e `refugiados`, mas raramente se fala das viagens pessoas que eles tiveram de fazer", sublinhou Francesca Sanna.

Na página oficial, a Editora 2020 sugere um guia para leitura guiada e exploração da obra, feito pela Amnistia Internacional.

Nas livrarias portuguesas, não estão disponíveis muitos livros ilustrados, para os mais novos, que versem sobre migrações e refugiados.

Em fevereiro passado saiu "Pássaro que voa", de Claudio Hochmam, ilustrado por Carlota Madeira Lopes, na editora Livros Horizonte. Reúne dezenas de pequenas histórias inspiradas em relatos verídicos lidos nos jornais, histórias reais e outras ficcionadas, sempre em torno da ideia de partida de um lugar.

Em 2015, saiu "Com 3 novelos (o mundo dá muitas voltas)", de Henriqueta Cristina e Yara Kono, editado pela Planeta Tangerina, sobre uma família que muda de país em busca de um lugar mais livre, e em 2010 a Orfeu Negro publicou em Portugal o livro ilustrado "Migrando", de Mariana Chiesa Mateos, sem texto e com dupla leitura, independentemente do lado da página em que se começa.

Tópicos:

Amnistia, Henriqueta Cristina,

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.