Luiz Francisco Rebello entre os agraciados com a medalha de honra da SPA

por Agência LUSA

O dramaturgo Luiz Francisco Rebello, ex-presidente da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) é uma das 44 personalidades que serão galardoadas com a medalha de honra por ocasião do 80º aniversário da cooperativa, foi hoje anunciado.

A cerimónia terá lugar dia 20, em Lisboa, antecipando as comemorações do Dia do Autor que se celebra a 22.

"Por imperativos de agenda, procurando reunir todas as pessoas, foi decidido antecipar as comemorações para sexta-feira", explicou à Lusa Ribeiro Cardoso, assessor da direcção da SPA.

Na sessão solene, presidida pelo Chefe de Estado, Jorge Sampaio, o actor Raul Solnado lerá uma mensagem alusiva ao Dia do Autor Português.

Além de Luiz Francisco Rebello, alvo de uma investigação da Polícia Judiciária pela sua gestão à frente da SPA, serão distinguidos outros criadores, membros da cooperativa "com idade próximas ou acima dos 70 anos".

O maior número dos galardoados com a medalha de honra, 13, pertence à área da música, seguindo-se, com nove cada, a literatura e teatro/artes cénicas, com seis a rádio, quatro do cinema/televisão e com três a das artes plásticas.

No teatro e artes cénicas, além de Luiz Francisco Rebello serão galardoados Águeda Sena, Carlos Avillez, Fernando Lima, Jaime Gralheiro, Jaime Salazar Sampaio, Manuel Paião, Raul Solnado e, a título póstumo, Eduardo Damas, falecido a 29 de Março.

Os 13 galardoados da área da música são Álvaro Salazar, António Vitorino d`Almeida, Carlos Canelhas, Clotilde Rosa, Eugénia Lima, Fernando Machado Soares, Filipe de Sousa, Jorge Costa Pinto, Joaquim Luís Gomes, Jorge Machado, José Luís Tinoco, Fernando Correia Martins e Luís Filipe Pires.

Alçada Baptista, Alexandre Babo, António Manuel Couto Viana, Dinis Machado, Ernesto Mello e Castro, Luís Cajão, Maria Alberta Menéres, Matilde Rosa Araújo e Urbano Tavares Rodrigues são os galardoados na área da literatura.

Na área da rádio figuram Eduardo Street, José Duarte, Eduardo Ferro Rodrigues, Igrejas Caeiro, António Cartaxo e Matos Maia, a título póstumo.

"A ideia - explicou Ribeiro Cardoso - era homenagear todos em vida, mas desde a decisão e o dia de hoje, infelizmente, alguns dos nossos criadores já faleceram".

António Macedo, Artur Ramos, José Fonseca e Costa e Fernando Lopes, são os distinguidos na área do cinema e televisão, enquanto os três artistas plásticos distinguidos são António Casimiro, Lagoa Henriques e Mário Alberto.

Para além desta sessão solene a celebração do 80º aniversário da SPA tem vindo a decorrer durante todo o ano e estão previstas diversas outras iniciativas, nomeadamente "o relançamento do Grande Prémio de Teatro SPA/Novo Grupo".

Relativamente a este Prémio está também prevista a edição pelas Publicações D. Quixote de quatro peças de Pedro Pinheiro, António Ferreira e Jaime Rocha, vencedoras dos Grande Prémios anteriores.

Este ano ainda, e coincidindo com os 25 anos da morte do dramaturgo Bernardo Santareno, a SPA criou um prémio para novos dramaturgos que ostentará o nome do autor de "O pecado de João Agonia".