Marcelo promete levar corpo diplomático a Bragança

| Cultura

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, prometeu hoje levar o corpo diplomático a Bragança, com o pretexto de visitar o Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, a pintora que homenageou na cidade transmontana.

O centro que é um marco cultural em Bragança, comemora dez anos e "ainda bem que existe", segundo o Presidente pois "talvez seja possível encontrar um bom argumento" para levar a este território transmontano os embaixadores acreditados em Portugal.

Marcelo referiu que tem levado o corpo diplomático a visitar vários pontos do país e agora deixou a promessa para Bragança: "veremos como e quando".

O chefe de Estado elogiou a obra da pintora transmontana que é a "madrinha" do centro de arte, realçando a "natureza comunitária" da mesma, "não apenas porque traduz as suas raízes, mas porque ela continua a sofrer com toda a humanidade, de forma predominantemente angustiada, mas muitas vezes esperançosa".

"Eu devo dizer que sou feliz porque acordo todos os dias e o primeiro quadro que vejo é uma obra de Graça Morais. Está em frente da minha cama, pequenina, é um retrato de uma jovem que é mais esperançosa que angustiada e, portanto, começo bem o dia e uma parte do meu otimismo, embora realista, se deve a esse retrato da Graça Morais e não tenciono retirar de onde está", partilhou o presidente.

O Centro de Arte Contemporânea tem mostrado a obra da artista e nas comemorações dos dez anos inaugura justamente uma nova exposição com cerca de 80 inéditos.

Ao longo desta década, têm passado por Bragança grandes nomes nacionais e estrangeiros, paralelamente a várias atividades, sobretudo destinadas a crianças.

O centro funciona num edifício histórico reabilitado pelo arquiteto Souto Moura e toda a dinâmica deu origem a outros projetos como o Laboratório de Artes de Montanha, que foi formalizado hoje e vai dedicar-se a observar e documentar a obra de Graça Morais.

A ideia foi impulsionada pelo ministro da Ciência e Ensino Superior, Manuel Heitor, que esteve também presente em Bragança, indicando que este projeto "vai criar um novo foco de emprego científico" que permitirá a investigadores e estudantes do politécnico de Bragança estudar a obra da pintora.

O projeto foi apresentado como pioneiro no país e junta várias entidades, nomeadamente Câmara de Bragança, Instituto Politécnico de Bragança, Centro de Arte Contemporânea, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da universidade Nova de Lisboa, Instituto da História da Arte e apoio da Fundação da Ciência e Tecnologia, além da própria Graça Morais.

O presidente da República está hoje em Bragança, onde vai ainda inaugurar o Centro de Acolhimento Empresarial das Cantarias e visitar a Santa Casa da Misericórdia de Bragança.

 

 

Tópicos:

Ciência, Câa Bragança Politécnico, Empresarial, Misericórdia,

A informação mais vista

+ Em Foco

A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

O economista guineense Carlos Lopes, em entrevista à RTP, considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.