Projeto Alma Nuestra de Salvador Sobral anunciado para o Festival das Artes em Coimbra

| Cultura

A banda Alma Nuestra, criada por Salvador Sobral e pelo músico cubano Victor Zamora, é o primeiro nome confirmado para o Festival das Artes, em Coimbra, que decorre de 19 a 28 de julho.

Alma Nuestra vai atuar a 25 de julho, no Anfiteatro Colina de Camões, na Quinta das Lágrimas, prometendo "sons da América Latina com roupagem jazz", anunciou hoje a organização do Festival das Artes, em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

"A banda regressa às bem conhecidas e intemporais canções de Cuba, Argentina e de outras terras sul-americanas, reinventando-as e tornando-as únicas e pessoais", acrescenta a mesma nota.

A atuação da banda, composta por Salvador Sobral, Victor Zamora, Nelson Cascais e André Sousa Machado, é uma coprodução com o festival QuebraJazz, que decorre todos os anos na escadaria Quebra Costas, no Centro Histórico de Coimbra.

Este ano, os Alma Nuestra já fizeram parte da programação do Festival Internacional de Jazz do Litoral Alentejano, do Teatro S. Luiz, em Lisboa, e do Teatro Sá da Bandeira, em Santarém.

A 11.ª edição do Festival das Artes tem este ano como tema "Luz e Sombra", sendo esperados concertos, exposições, conferências e cinema, entre outras iniciativas.

O Festival das Artes é organizado pela Fundação Inês de Castro.

Tópicos:

Anfiteatro Colina, Bandeira Santarém, Jazz, Lágrimas, Salvador Sobral Victor Zamora Nelson Cascais,

A informação mais vista

+ Em Foco

A RTP ouviu os seis lideres partidários sobre temas que escapam aos programas políticos e que contribuem para definir o perfil dos candidatos.

    Uma sondagem da Universidade Católica aponta para o fim da hegemonia laranja na Madeira, apesar da vitória do PSD nas regionais (38%) do próximo domingo.

    Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.