Público aprova exposições e atividades para crianças da maior festa literária do Brasil

| Cultura

Uma exposição itinerante do Museu da Língua Portuguesa, uma mostra sobre a recuperação do Museu da Independência e a programação infantil são opções que estão a ser aprovadas pelo público que acompanha a Festa Internacional Literária de Paraty (Flip).

Cíntia Barreto, de 46 anos, contou à Lusa que está na cidade de Paraty, no litoral do Rio de Janeiro, para acompanhar a Flip juntamente com um grupo de 14 pessoas.

"Estou gostando muito das exposições que acontecem aqui, começámos agora as visitas. Tem uma [exposição] sobre `Canudos`, esta da Língua Portuguesa e a `Flipinha` [voltada para o público infantil], que está linda", disse.

"Todas estas parcerias, com as casas, a Casa Libre, Casa da Leitura, enfim, a Flip é a Flip porque é agregadora, agrega vários eventos dentro de um só", acrescentou.

Nívea Oura, de 36 anos, avaliou que o evento é rico porque aposta na diversidade.

"Além de oferecer as mesas de debate tem estas exposições que deixam nosso passeio mais rico. As que eu vi gostei bastante e pretendo conhecer outras ainda", explicou.

Ana Paula Lourenço de Paula, 43 anos, considerou o evento muito interessante porque ele tem atividades para todos os gostos.

"[A Flip] é muito interessante porque você tem atividades para todos os gostos. Se você quer se aprofundar na obra do homenageado do ano, o [autor] Euclides da Cunha, você tem atividades específicas", disse.

Lourenço também mencionou a programação voltada para o público infantil que é importante para os visitantes que estão na cidade com a família.

"Minha filha mais velha está ouvindo relatos de histórias e a minha mais nova esta aqui comigo, porque preferiu estar ao ar livre", acrescentou.

O Museu Itinerante da Língua Portuguesa conta com o apoio da EDP Brasil, empresa que patrocina a Flip há três anos, que também investirá 12 milhões de reais (2,8 milhões de euros), na reforma do Museu da Independência.

O presidente da empresa, Miguel Setas, explicou à Lusa o interesse na Flip.

"Como nós sabemos, é uma das principais festas literárias do Brasil e, portanto, desde o momento que assumimos [o papel de] principal de patrocinador do Museu da Língua Portuguesa entendemos que era necessário também encontrar um conjunto de iniciativas que pudesse dar uma diversidade e um acesso mais abrangente da língua portuguesa", frisou.

"Quando o museu [da Língua Portuguesa que foi destruído num incêndio em 2015] começou a sua reconstrução iniciámos a nossa presença aqui na Flip. Isto ocorreu há três anos", acrescentou.

Nesta que é a 17.ª edição da festa, a EDP investiu um milhão de reais (237 mil euros), fora a parte de patrocínio que firmou com os organizadores do evento.

A Flip decorre até domingo, 14 de julho, em Paraty, no estado do Rio de Janeiro, no centro de uma região declarada há uma semana Património Cultural e Natural da Humanidade, pela Organização das Nações Unidas, para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

Tópicos:

EDP, Literária Paraty Flip Cíntia Barreto,

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi há 50 anos que o Homem partiu para a Lua. De Cabo Canaveral, nos EUA, seguiram três astronautas para colocar os nomes na história da humanidade.

Ouvido pela RTP, o artista chinês mostra-se convicto de que Hong Kong e Macau não serão, no futuro, controlados pela China.

Começa a legislatura do Parlamento Europeu saído das últimas eleições. Conheça aqui os eurodeputados portugueses e as suas prioridades.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.