Ricardo Toscano leva hoje o "espírito do jazz" ao festival

por Lusa

O saxofonista Ricardo Toscano leva hoje o "espírito do jazz" ao festival Alive, a decorrer em Oeiras, com um concerto que o músico admite ser "improvável", num cartaz no qual predominam o rock e a música eletrónica.

O músico, que editou no final do ano passado o álbum de estreia, em quarteto, atua hoje pelas 19:50 no palco Coreto, um dos sete palcos montados no Passeio Marítimo de Algés, onde começou hoje a 13.ª edição do NOS Alive.

Ricardo Toscano, em declarações à Lusa antes do espetáculo, mostrou-se "muito contente" com o convite, que considerou "muito improvável" e, "ao mesmo tempo, uma oportunidade para o jazz se integrar nestes festivais".

"Sendo que não faço a mínima ideia do que vai acontecer neste concerto, mas o meu objetivo é fazer com que o espírito do jazz esteja presente, improvisar bastante, tocar com força, porque eu acho que as pessoas já estão à procura de coisas mais puras e menos impressionantes e elaboradas, sendo que isso ainda seja uma grande constante", afirmou.

Ricardo Toscano, acompanhado por João Pedro Coelho (piano), Romeu Tristão (contrabaixo) e João Lopes Pereira (bateria), vai mostrar no festival "música forte a nível emocional", algo que "vai ser desafiante para o contexto".

Do cartaz do festival destaca, hoje, Camané, de quem é "mega fã", Ornatos Violeta e The Cure. "De resto confesso que não tive oportunidade de ver o cartaz com atenção, mas vou espreitar esses concertos", partilhou.

Ricardo Toscano editou aos 25 anos o álbum de estreia, ao fim de quase dez anos dedicado à música de forma profissional.

A ligação do músico ao jazz começou no berço e soube ainda na infância que um dia seria saxofonista de jazz, sem nunca ter definido um plano B, caso tudo falhasse.

Aos 13 anos, entrou no Conservatório Nacional e, aos 15, na escola profissional da Orquestra Metropolitana de Lisboa, em ambos para estudar clarinete.

Em Lisboa, a escola do Hot Clube partilha o edifício com a Metropolitana. Então, aos 16 anos estudava saxofone na primeira e clarinete na segunda.

Aos 17 anos entrou para a Escola Superior de Música, no regime sobredotado. Foi com essa idade, em 2010, que foi considerado saxofonista revelação, na 8.ª Festa de Jazz do São Luiz.

Além de ser músico profissional, Ricardo Toscano dá aulas de saxofone no Hot Clube.

Desde a edição de "Ricardo Toscano Quartet", em novembro do ano passado, tem tido "muitos concertos" e este ano vai "continuar com uma boa agenda".

"Felizmente toda a gente parece gostar do disco, que é uma boa notícia. Foi um dos discos de jazz do ano, top 10 do Público, lista do ano do jazz.pt, só me dá vontade de fazer um disco novo, com música melhor, no mínimo", disse.

A 13.ª edição do NOS Alive decorre até sábado.

Tópicos