CDS/PP questiona Governo sobre futuro do Centro de Estudos Vitivinícolas do Dão

| Economia

O CDS/PP questionou o Governo sobre o futuro do Centro de Estudos Vitivinícolas do Dão, situado em Nelas, por temer que, se não forem tomadas "medidas imediatas", acabe por desaparecer "um património fundamental para a região".

Numa pergunta enviada ao Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, os deputados Hélder Amaral, Patrícia Fonseca e Ilda Araújo Novo perguntam se "vai ou não haver vindimas nas vinhas do Centro de Estudos Vitivinícolas do Dão".

Os deputados querem também saber "qual é a solução - em termos de meios humanos, técnicos e financeiros - que o Governo tem para evitar o fim do centro e proteger um património fundamental para a região".

Em setembro de 2018, os deputados já tinham questionado o ministro sobre o mesmo assunto. Na altura, a resposta que receberam foi a de que a vindima das vinhas do Centro de Estudos Vitivinícolas do Dão seria "efetuada em função, naturalmente, das condições de maturação das uvas" e que os recursos humanos existentes garantiam "o funcionamento das atividades do centro".

No entanto, Hélder Amaral, Patrícia Fonseca e Ilda Araújo Novo referem que "chegou ao conhecimento do grupo parlamentar do CDS/PP que, mais uma vez, este ano, não há vindima nas vinhas do Centro de Estudos Vitivinícolas do Dão".

No seu entender, "é notório o desprezo a que o atual Governo está a votar este baluarte da região, podendo vir a levar à sua morte, caso não sejam tomadas medidas imediatas".

"Com a sua morte, perde-se também a grande enciclopédia do Dão", alertam.

 

Tópicos:

CDS PP, Dão, Hélder Aal Patrícia Fonseca, Vitivinícolas Dão Nelas Viseu,

A informação mais vista

+ Em Foco

A RTP ouviu os seis lideres partidários sobre temas que escapam aos programas políticos e que contribuem para definir o perfil dos candidatos.

    Uma sondagem da Universidade Católica aponta para o fim da hegemonia laranja na Madeira, apesar da vitória do PSD nas regionais (38%) do próximo domingo.

    Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.