Centeno diz que alterações nas carreiras públicas devem ter em conta recursos

| Economia

Para Mário Centeno, a sustentabilidade é "um tema crítico"
|

O ministro das Finanças, Mário Centeno, admitiu hoje em Lisboa que ainda há muito a fazer nas carreiras da Administração Pública, mas avisou que as alterações devem ter sempre em consideração os recursos económicos do país.

Num encontro da Direção-Geral da Qualificação dos Trabalhadores em Funções Públicas (INA) que decorre hoje em Lisboa, Mário Centeno lembrou que o Governo tem tomado algumas medidas, como o descongelamento das carreiras, mas admitiu que o trabalho "não está completo".

"Prevemos que muito ainda há para fazer, muito que tem de ser feito com passos sólidos e investimentos estratégicos e articulados, sempre compatíveis com os recursos do país", afirmou o ministro das Finanças,

Para o governante, "se se puser esta última condição em causa, não se conseguirá o progresso desejável".

Sustentabilidade foi uma palavra presente no discurso do ministro das Finanças, dirigido aos funcionários públicos, mas Mário Centeno sublinhou que "a sustentabilidade não é uma ideia tecnocrata".

A sustentabilidade, defendeu, "é um compromisso responsável com o futuro pois diz respeito às opções que garantem a permanência dos sistemas nos patamares de qualidade que desejamos", disse.

Para Mário Centeno, a sustentabilidade é "um tema crítico", recordando que "a despesa pública representa cerca de 40% do PIB em emprego, organização e produção de serviços e bens (a despesa primária, sem juros)".

"Impõe-se, assim, discutir quais as condições que devemos criar para gerir os trabalhadores da Administração Pública, pois influencia os seus comportamentos, atitudes e desempenho e, em consequência, a forma como os serviços públicos atuam e geram confiança nos cidadãos e empresas", defendeu.

O INA promove, ao longo de 2018, um ciclo de encontros denominado `Construir Hoje a Administração Pública do Futuro` que pretende debater a Administração Pública. O encontro de hoje tem como tema `Percursos Profissionais na Administração Pública: Carreiras e Competências`.

Tópicos:

INA,

A informação mais vista

+ Em Foco

No 20.º aniversário da Exposição Universal sobre os Oceanos, a Antena 1 e a RTP estiveram à conversa com alguns dos protagonistas do evento.

    Um dos mais conceituados politólogos sul-coreanos revelou à RTP o modo de pensar e agir de Pyongyang.

    Portugal foi oficialmente um país neutro na 2ª guerra Mundial. Mas isso não impediu que quase mil portugueses tivessem sido deportados, feitos prisioneiros ou escravos pelos nazis.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.