Facebook anuncia que piratas informáticos acederam a 29 milhões de contas

| Economia

Uma falha de segurança descoberta em setembro na maior rede social do mundo permitiu a piratas informáticos terem acesso a dados pessoais de cerca de 29 milhões de utilizadores, indicou hoje o Facebook num comunicado.

O Facebook precisou que os piratas informáticos tiveram acesso ao nome e contactos de cerca de 15 milhões de utilizadores e a outros dados de cerca de 14 milhões de utilizadores.

Quando anunciou a falha de segurança, em 28 de setembro, o Facebook avançou que cerca de 50 milhões de contas tinham sido violadas.

Para o conjunto das 29 milhões de contas, os piratas -- cuja identidade ou origem não foi revelada até agora -- acederam ao nome do utilizador, ao `email` e ou ao número de telefone, se este estivesse associado ao perfil.

Potencialmente mais danosos foram os dados a que os piratas tiveram acesso das outras 14 milhões de contas.

Além do nome e dos contactos, os piratas informáticos acederam ao sexo, estatuto que indica a situação amorosa do utilizador, nível de escolaridade, bem como a data de nascimento, residência, emprego e páginas da internet e pessoas que seguia.

Num milhão de casos, os piratas não acederam a qualquer informação.

O Facebook indicou ainda que a polícia federal norte-americana continuava a investigar e pediu para nada revelar.

A informação mais vista

+ Em Foco

Raptos e assassínios de opositores em países estrangeiros, levados a cabo pelos serviços secretos, têm um longo historial.

Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.