Marcelo promete apoio à TAP enquanto cumprir missões nacionais

por Lusa

O Presidente da República agradeceu na sexta-feira à noite a iniciativa da TAP de assinalar os cem anos da travessia aérea do Atlântico Sul e prometeu apoiar a empresa enquanto cumprir missões nacionais.

Marcelo Rebelo de Sousa falava numa cerimónia no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, antes de embarcar num voo especial da TAP de Lisboa para o Rio de Janeiro para celebrar a travessia aérea do Atlântico Sul feita há cem anos por Gago Coutinho e Sacadura Cabral.

"A TAP está a cumprir uma missão nacional com este voo. Isso é bom", declarou o chefe de Estado, referindo que o general Humberto Delgado "criou a aviação militar e civil em Portugal, criou a ideia deste aeroporto e criou a TAP como companhia, por uma missão nacional".

O Presidente da República disse que "o tempo mudou, as companhia de aviação hoje estão em concorrência umas com as outras", mas defendeu que a TAP "tem a obrigação de ter uma memória nacional, de cumprir o interesse nacional, que as outras não têm"

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, "aquilo que explica por que é que os portugueses na grande maioria aceitam contribuir financeira para a TAP é porque acreditam que ela de quando em vez tem missões nacionais como esta".

"Desta vez, como noutras, desta vez a TAP cumprir uma missão nacional, e enquanto cumprir estas missões nacionais eu arranjo maneira de explicar aos portugueses que realmente têm de ir contribuindo para a TAP para que ela se mantenha uma empresa forte, com qualidade", prometeu.

O chefe de Estado apontou como "muito importante" o papel da TAP "nas ligações, por exemplo, ao Brasil".

"Uma das missões nacionais da TAP é ligar Portugal às comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo", reforçou.

Antes, a presidente executiva da TAP, Christine Ourmières-Widener, disse umas breves palavras: "É orgulho para nós celebrarmos nós a travessia do Atlântico Sul. É uma honra ter o Presidente connosco. Bom voo e bem-vindo a bordo da TAP. Muito obrigada".

Na cerimónia que antecedeu a partida esteve presente, em nome da ANA Aeroportos, o diretor do Aeroporto Humberto Delgado, Rui Alves.

Neste voo comercial especial, uma parceria com a Comissão Aeronaval para a Comemoração do Centenário da Travessia Aérea, da Força Aérea e da Marinha, viajam também a presidente executiva da TAP, Christine Ourmières-Widener, e o presidente do conselho de administração da empresa, Manuel Beja.

Seguem também neste voo especial, que partiu pouco depois da meia-noite, o ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, e o secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Francisco André.

A chegada ao Rio de Janeiro está prevista para as 05:25 locais (09:25 de Lisboa) de sábado.

O programa do chefe de Estado no Brasil começa no sábado, no Rio de Janeiro, onde vai intervir e descerrar uma placa numa sessão comemorativa dos cem anos da travessia aérea do Atlântico Sul, na zona portuária no centro da cidade.

O Presidente da República terá ainda uma receção à comunidade portuguesa, no consulado geral português, em Botafogo, antes de seguir para para São Paulo, onde estará na abertura oficial da 26.ª Bienal Internacional do Livro, que nesta edição tem Portugal como país homenageado.

pub