Reserva Federal prevê mais duas subidas de juros este ano

| Economia

O banco central norte-americano anunciou hoje uma subida nas suas taxas de juro de referência e assinalou que prevê mais dois aumentos até ao fim do ano dado o ritmo "sólido" de crescimento da economia dos Estados Unidos.

A subida de um quarto de ponto percentual já era esperada pelos mercados, com as taxas a evoluírem para o intervalo entre 1,75% e 2%, segundo o comunicado do comité de política monetária do banco central. Este foi o segundo aumento deste ano e o sétimo desde o fim de 2015, quando começou a subida dos juros nos Estados Unidos.

A Reserva Federal (Fed) também se mostrou mais otimista nas suas previsões de crescimento e de inflação para este ano. A Reserva Federal prevê agora um crescimento de 2,8% em 2018 (2,7% na anterior previsão) e de 2,1% na inflação (1,9% na previsão de março).

O comité indicou igualmente que prevê mais dois ajustamentos nas taxas de juro até ao final do ano, mais um do que estava previsto até agora, o que se deve a um ritmo ligeiramente mais rápido da inflação, que evoluiu para perto de 2%.

Em relação ao comunicado divulgado após a sua última reunião, no início de maio, o banco central afirmou agora que o crescimento passou de "moderado" a "sólido", com uma subida nos gastos com o consumo das famílias.

O banco central norte-americano mostrou-se também mais otimista quanto ao emprego, prevendo uma taxa de desemprego de 3,6% para 2018 (uma descida de duas décimas em relação ao previsto anteriormente) e de 3,5% em 2019 (menos uma décima).

"A criação de emprego foi significativa, em média, nos últimos meses e a taxa de desemprego recuou. Os dados recentes sugerem que os gastos das famílias têm aumentado e que o investimento das empresas continuou a crescer fortemente", indicou a Fed.

A informação mais vista

+ Em Foco

No mês do Mundial de futebol a RTP faz uma radiografia da vida na Rússia.

    Entrevista a António Mateus para o programa "Olhar o Mundo". Veja aqui.

    Um olhar aos altos e baixos da relação entre o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un.

      Dados revelados no Digital News Report de 2018 do Reuters Institute.