Santana Lopes "muito impressionado" com destruição na Figueira da Foz

| Economia

O presidente do partido Aliança e ex-primeiro-ministro Pedro Santana Lopes manifestou-se hoje "muito impressionado" pela destruição causada pela tempestade Leslie na Figueira da Foz e apelou à atenção das autoridades locais, Governo e Presidente da República.

"Estou muito impressionado com o que vi, as imagens que chegam pelas televisões e pelas redes sociais não documentam a dimensão do que aqui aconteceu. Os estragos, os prejuízos, as consequências são muito superiores àquilo que se podia vislumbrar pelas imagens que nos iam chegando", disse à agência Lusa Pedro Santana Lopes.

O também ex-presidente da autarquia da Figueira da Foz, de 1998 e 2001, e "figueirense adotado", visitou hoje diversos locais da cidade e do concelho, entre os quais o porto de pesca e o parque de campismo do Cabedelo, e adiantou que a extensão dos prejuízos, vista "ao vivo", tem "consequências na vida das pessoas, na estrutura económica da Figueira e não vai ser recuperável sem ajuda, sem apoio", disse.

Na visita de hoje, Santana Lopes ouviu pescadores, empresários e campistas, entre outros, queixarem-se da alegada falta de atenção das autoridades para com os danos e prejuízos que sofreram e considerou "estranho" que assim seja.

"Eu acho que as pessoas ainda não assimilaram bem aquilo que pelos vistos aconteceu aqui na Figueira. Eu estava em Lisboa e senti este impulso natural [de se deslocar ao concelho]. Uma pessoa quer ver o que aconteceu à terra que também sente como sua. Mas depois há o dever de função, não quero estar a criticar a autarquia, porque são meus sucessores, mas faço o apelo para que venham", enfatizou Santana Lopes.

"Porque têm de vir, porque os responsáveis da Proteção Civil e das autarquias, que há de vários níveis, têm de ver com os próprios olhos o que aconteceu aqui. Custa-me ver as pessoas terem esse sentimento de que não querem saber delas", adiantou.

Santana Lopes estendeu o apelo ao Governo e ao Presidente da República para que se desloquem à Figueira da Foz - o concelho que foi referenciado como o ponto de entrada em terra do furacão Leslie e registou, no sábado à noite, uma rajada de vento que atingiu cerca de 176 quilómetros por hora, valor mais elevado registado em Portugal - reconhecendo que tanto o chefe de Estado como governantes têm andado "muito pelo país, os responsáveis de Lisboa andam um pouco pelo país todo, entre incêndios, inundações e furacões".

"Faço o apelo para que venham à Figueira, porque a Figueira, como os senhores dizem, foi a terra mais fustigada pelo fenómeno que aconteceu este fim de semana. Ora, se foi a mais fustigada, eu diria que talvez devesse ser a mais visitada", argumentou Santana Lopes.

O ex-primeiro ministro e ex-autarca da Figueira da Foz disse ainda esperar que aquele município do litoral do distrito de Coimbra seja também o mais atendido nas necessidades que têm de apoio (só na zona portuária os prejuízos ascendem a mais de cinco milhões de euros), quer de fundos nacionais, quer do fundo europeu de solidariedade.

Tópicos:

Figueira Foz Figueira Foz, Leslie Figueira, Mau, Santana,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      O ex-ministro da Defesa israelita Avigdor Lieberman acumulou diatribes ao longo da carreira política.

        A destruição causada pelas chamas no Estado norte-americano da Califórnia retratada numa galeria de fotografias.