Sete países asiáticos querem acelerar criação de zona de comércio livre

por Lusa

Índia, Bangladesh, Sri Lanka, Nepal, Butão, Tailândia e Myanmar anunciaram hoje a intenção de criar uma zona conjunta de comércio livre, como medida de proteção face à situação económica internacional, afetada pela guerra na Ucrânia.

A decisão foi revelada pelos líderes destes sete países numa cimeira da Iniciativa do Golfo de Bengala para a Cooperação Multissetorial Económica e Técnica (BIMSTEC), que decorreu no Sri Lanka.

Apesar de ter sido fundada em 1997 por estes sete Estados e de terem já acontecido cinco cimeiras, só agora é que foi aprovada a carta oficial que regula e vincula esta organização de cooperação.

O presidente do Sri Lanka, Gotabaya Rajapaksa, sublinhou a necessidade de aceleração do programa sobre comércio e investimentos dos países-membros da BIMSTEC, tendo em conta o contexto de agravamento da crise no próprio país, pela escassez de combustíveis e alimentos.

A posição foi corroborada pelo primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, justificando que "os desenvolvimentos na Europa nas últimas semanas criaram dúvidas sobre a estabilidade da ordem internacional", sem se referir diretamente à invasão militar da Rússia na Ucrânia.

Na cimeira de 2004, na Tailândia, os Estados-membros tinham aprovado um acordo para negociar a zona de comércio livre antes de 2017, mas nunca chegou a ser concretizada. 

pub