Candidato de Bolsonaro ao Rio de Janeiro promete reforçar laços com Portugal

por Lusa

O candidato apoiado por Jair Bolsonaro ao governo estadual do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, prometeu reforçar o intercâmbio com Portugal e disse esperar o apoio dos imigrantes portugueses no Brasil.

"Vamos aumentar o nosso comércio, as nossas relações de pesquisa e de intercâmbio, e de tudo o que favorecer o nosso povo com o de Portugal", disse à Lusa o candidato a governador pelo Partido Social Cristão (PSC).

Além disso, "vamos também procurar estar próximos da comunidade de Língua Portuguesa", prometeu o candidato, à margem de um comício organizado por apoiantes de Jair Bolsonaro numa casa portuguesa localizada no Rio de Janeiro, o Arouca Barra clube.

"O Brasil mudará muito com Jair Bolsoanro pois ele representa a quebra de uma velha política. Uma política de compadrio, uma política alicerçada na troca de favores. Nós, aqui no Rio de Janeiro, seguimos essa mesma linha. Nós não temos essa relação promiscua com empresários ou com quem quer que seja. Daremos oportunidades a todos e não aos amigos do `Rei`. Eu e o Jair simbolizamos essa mudança", afirmou Wilson Witzel.

Quanto à grande comunidade de portugueses a viver no Rio, o candidato a governador do PSC disse que "podem esperar um estado mais seguro, mais promissor, com mais oportunidades".

Wilson Witzel obteve 41,28% dos votos na primeira volta das eleições e vai disputar a corrida eleitoral com Eduardo Paes, no próximo domingo.

Magno Malta foi outra das figuras políticas que marcou presença no ato de apoio a Bolsonaro. O ex-senador do estado brasileiro do Espírito Santo, chegou a ser apelidado por Bolsonaro como o "vice-presidente dos seus sonhos", cargo que Malta recusou para tentar uma reeleição para o cargo de Senador, algo que não conseguiu.

"Eu não tenho dúvidas que ele (Bolsonaro) será o próximo Presidente do Brasil. Ele voltará a resgatar os valores, o respeito pelas famílias e pela vida, e pela segurança pública. O Brasil voltará a ser Brasil a partir do dia 28 (dia da segunda volta das presidenciais)", afirmou.

"Estamos juntos há mais de seis anos e estou mais convencido do que nunca de que a nação brasileira responderá definitivamente contra esse socialismo falido que destruiu os valores e a economia do país, gerando 14 milhões de desempregados e fazendo com que nós nos tornássemos na vergonha pública do mundo", disse Magno Malta.

Num discurso direcionado aos cidadãos brasileiros a viver em Portugal, o ex-senador apelou ao exercício do voto como forma de "resgatar o país".

"Eu sei que vocês (emigrantes brasileiros) estão fora, alguns por razões ligadas aos estudos mas outros não. Muitos deixaram de suportar a violência e tinham medo criar filhos aqui, medo de deixar os filhos na escola e serem eles erotizados lá. Mas nós vamos reconstruir o Brasil para vocês poderem retornar à vossa terra, para se sentiram seguros e felizes. Vá ao consulado, vote, e cante connosco o hino nacional de volta", afirmou o político, dirigindo-se aos brasileiros fora do país.

Os candidatos Jair Bolsonaro e Fernando Haddad irão defrontar-se na segunda volta das eleições presidenciais brasileiras já no próximo domingo, onde 147 milhões de brasileiros decidirão quem será o sucessor de Michel Temer na Presidência do país.

 

Tópicos