Cristas acusa Costa e esquerdas de governarem como se "troika" não tivesse saído

| Eleições Europeias 2019

A líder do CDS-PP acusou hoje o Governo "da `troika` das esquerdas" de governarem como se a `troika` ainda estivesse em Portugal, com a maior carga fiscal "de sempre" e o mais baixo nível de investimento público.

Num jantar com militantes no Montijo, Setúbal, Assunção Cristas reclamou para o CDS, que estava com o PSD no Governo em 17 de maio de 2014, quando a "`troika` fez as malas e deixou" o país, o feito dessa saída e pediu que a data se comemore como o "dia da restauração" da independência financeira.

E numa só frase, usou a palavra `troika` três vezes para acusar os socialistas, que "levaram o país à bancarrota" em 2011 e "pediram de joelhos" a intervenção externa, de continuarem a governar com austeridade.

"Este é o governo das esquerdas unidas, da `troika` à portuguesa, a `troika` das esquerdas, que mesmo quando nos livramos da `troika` continua a querer governar entre nós", acusou ainda Assunção Cristas, muito aplaudida pelos cerca de 100 militantes reunidos num restaurante do Montijo.

A informação mais vista

+ Em Foco

Apresentamos aqui o perfil dos cabeças de lista e cinco prioridades de ação por partido para o Parlamento Europeu.

    Debates, perfis, notícias da campanha. Toda a informação sobre as Eleições Europeias de 2019, que se realizam a 26 de maio.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

        Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.