Maria Flor Pedroso entrevista Fernando Negrão

| Maria Flor Pedroso
Maria Flor Pedroso entrevista Fernando Negrão

Foto: Antena1

Fernando Negrão é favorável ao aumento dos salários da Função Pública. Considera no entanto que é necessário uma Reforma do Estado baseada na redução de número de funcionários e funcionários mais qualificados.


Fernando Negrão é favorável ao aumento dos salários da Função Pública. Admite mesmo acompanhar as iniciativas do PCP e do BE que não desistem do aumento salarial dos funcionários públicos para 2019. Considera no entanto que é necessário uma Reforma do Estado baseada na redução de número de funcionários e funcionários mais qualificados.
Montepio

Montepio – PSD não desiste de CPI

Mesmo com a redução da operação Montepio, o PSD não desistiu de propor uma comissão parlamentar de inquérito, "se houver alguma irregularidade que afete a Santa Casa”. Lembra que o PSD tem um projecto de resolução, para proibir a entrada de capital da Santa Casa no Montepio, que já foi anunciado por Rui Rio e está expectante sobre a sua aprovação. 


Eutanásia: PSD devia fazer reflexão sobre hipótese de referendo

Fernando Negrão afirma-se favorável à hipótese de um referendo à Eutanásia, acrescentado mesmo que o PSD devia fazer essa reflexão. Sendo contra as propostas do PS, BE e PAN, por entender que o Testamento Vital já permite ao "cidadão controlar a forma como vai morrer”, acha ainda assim que o PSD deve refletir sobre a possibilidade de um referendo, para dar a conhecer aos portugueses o conjunto das soluções que há para as situações de morte.

O líder da bancada do PSD respondeu ainda às críticas que lhe foram feitas pelo facto de ter usado o tempo do PSD, no debate quinzenal, para se referir à despedir de Luís Montenegro: “foi propositado e sabe, essas coisas de corredor são comentários de corredor, não é coisa que me impressione".


Pode ver aqui na íntegra esta entrevista de Fernando Negrão a Maria Flor Pedroso:



Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.