África do Sul. Eleições podem provocar trambolhão do ANC

por Cristina Santos - RTP
Reuters

São as eleições mais competitivas desde o fim do apartheid (em 1994) e também as que podem retirar a maioria absoluta ao ANC (Congresso Nacional Africano) pela primeira vez desde que Nelson Mandela assumiu o poder, há 30 anos.

Várias sondagens têm mostrado uma diminuição das intenções de voto no ANC com o partido a obter menos de 50% dos votos, abaixo dos 57,5% nas últimas eleições em 2019. Isto significa que pode surgir um governo de coligação, pela primeira vez desde o “governo de unidade nacional” durante o único mandato presidencial de Nelson Mandela.
A África do Sul, em tempos vista como um farol de esperança para África e para o mundo, é atualmente o país com algumas das taxas de desemprego e desigualdade mais elevadas do mundo. Os cortes de energia são cada vez mais constantes, a escassez de água aprofunda-se e a criminalidade violenta aumenta.

Alguns analistas políticos explicam a queda do ANC com as gerações mais jovens que não sentem a mesma gratidão e lealdade ao partido como os pais e avós por causa da luta bem-sucedida pela democracia multirracial. O facto indesmentível é que o Congresso Nacional Africano (ANC) está em queda há uma década.

Este declínio é atribuído a "más políticas" do Governo, sobretudo depois de 2008, quando Thabo Mbeki, que sucedeu a Mandela, deixou a Presidência da República ao seu vice-Presidente Jacob Zuma, afastado, em 2018, pelo próprio partido devido a inúmeros casos de alegada corrupção. Agora, Cyril Ramaphosa, que sucedeu a Zuma, procura ser reeleito.

Sendo as sétimas eleições democráticas desde o fim do regime segregacionista do 'apartheid', em 1994, a estas eleições gerais concorrem 52 partidos políticos para o parlamento. Perto de 28 milhões de eleitores vão escolher os seus representantes e a escolha do Presidente da República para os próximos cinco anos será feita pelos 400 deputados que forem eleitos esta quarta-feira.


Os resultados finais só devem ser conhecidos no domingo, dia 02 de junho, apesar de os primeiros resultados serem divulgados logo após o encerramento das mesas de voto.

Em 1994, Nelson Mandela foi eleito Presidente após a vitória o ANC por 62,5%.
pub