António Guterres vê Ghouta como um inferno na Terra

| Mundo
António Guterres vê Ghouta como um inferno na Terra

No Conselho de Segurança da ONU, António Guterres descreveu a situação em Ghouta Oriental, na Síria, como um inferno na Terra.

O secretário-geral das Nações Unidas apelou ainda à ajuda para a saída das cerca de 700 pessoas que precisam de tratamento médico urgente.

Em cima da mesa está a hipótese de o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovar esta quinta-feira um projeto de resolução para um cessar-fogo de 30 dias em Ghouta Oriental.

Multiplicam-se os apelos ao cessar-fogo em Ghouta Oriental e os pedidos de acesso à região para levar cuidados médicos. É por exemplo o apelo já feito pela Cruz Vermelha Internacional.

A porta-voz do alto comissariado da ONU para os Direitos Humanos também alertou para o que está a acontecer e referiu-se a eventuais crimes de guerra numa campanha monstruosa de aniquilação contra a população civil.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, estrutura com sede em Londres, diz que desde domingo já morreram 310 civis na região de Ghouta Oriental, nos arredores de Damasco.

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

A presidente do CNAPN diz que a chave está nos líderes das mesquitas e pede mais apoio do Alto Comissariado para as Migrações.

    Entrevista a António Mateus para o programa "Olhar o Mundo". Veja aqui.

    Sintra podia ser uma "mini Davos". A sugestão foi feita informalmente por um dos académicos que participou na reunião do BCE concluída em 20 de junho.

      Dados revelados no Digital News Report de 2018 do Reuters Institute.