António Guterres vê Ghouta como um inferno na Terra

| Mundo
António Guterres vê Ghouta como um inferno na Terra

No Conselho de Segurança da ONU, António Guterres descreveu a situação em Ghouta Oriental, na Síria, como um inferno na Terra.

O secretário-geral das Nações Unidas apelou ainda à ajuda para a saída das cerca de 700 pessoas que precisam de tratamento médico urgente.

Em cima da mesa está a hipótese de o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovar esta quinta-feira um projeto de resolução para um cessar-fogo de 30 dias em Ghouta Oriental.

Multiplicam-se os apelos ao cessar-fogo em Ghouta Oriental e os pedidos de acesso à região para levar cuidados médicos. É por exemplo o apelo já feito pela Cruz Vermelha Internacional.

A porta-voz do alto comissariado da ONU para os Direitos Humanos também alertou para o que está a acontecer e referiu-se a eventuais crimes de guerra numa campanha monstruosa de aniquilação contra a população civil.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, estrutura com sede em Londres, diz que desde domingo já morreram 310 civis na região de Ghouta Oriental, nos arredores de Damasco.

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

    Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

      A Austrália enfrenta a maior seca de que há memória, afetando agricultores e criação de gado.