Atirador que matou um polícia em Paris estava a ser vigiado por suspeitas de radicalismo

| Mundo
Atirador que matou um polícia em Paris estava a ser vigiado por suspeitas de radicalismo

A ver: Atirador que matou um polícia em Paris estava a ser vigiado por suspeitas de radicalismo

O atirador que ontem matou um policia em Paris estava a ser vigiado por suspeitas de radicalismo e já tinha antecedentes criminais graves. As autoridades tentam agora perceber o que falhou para que tenha conseguido lançar o terror nos campos eliseos. A policia procura ainda um outro cúmplice e homenageou hoje os colegas atingidos no tiroteio. Reportagem da correpondente da RTP em Paris Rosário Salgueiro e de Jorge Vieira.

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 260 episódios, o projeto chegou às mais diversas áreas: saúde, engenharias, astronomia, tecnologia, química, história, filosofia, desporto ou geografia.

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.