Ativista pró-independência de Hong Kong condenado a seis anos de prisão

| Mundo

|

O ativista Edward Leung, rosto do movimento independentista em Hong Kong, foi hoje condenado a seis anos de prisão na sequência de um violento confronto com a polícia local em 2016, anunciaram as autoridades.

Leung, de 27 anos, foi considerado culpado pela participação num 'motim' com a polícia no distrito de Mong Kok, na parte continental da região administrativa especial chinesa.

Os confrontos ocorreram em Fevereiro de 2016 e foram considerados os mais violentos dos últimos anos, constituindo a maior demonstração de descontentamento popular desde os protestos pró-democracia no final de 2014.

Edward Leung é o antigo porta-voz do grupo independentista local Indigenous e uma das mais proeminentes vozes do movimento pró-independência de Hong Kong.

Num discurso proferido o ano passado, o Presidente chinês, Xi Jinping, anunciou que qualquer atividade em Hong Kong que ameaçasse a soberania e a estabilidade da China seria "absolutamente inadmissível".

A antiga colónia britânica passou para a soberania chinesa em 1997, sendo governada sob o princípio 'um país, dois sistemas' até 2047, um período de transição de 50 anos durante o qual Hong Kong manterá um elevado nível de autonomia e um sistema financeiro e legal próprios.

Tópicos:

Hong Kong,

A informação mais vista

+ Em Foco

Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

    Em entrevista exclusiva à RTP, Flávio, um dos filhos de Jair Bolsonaro, afirmou que o candidato do PT Fernando Haddad devia juntar-se a Lula da Silva.

    Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.

      Faltam seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 29 de março de 2019 é a data para o divórcio. A RTP agrega aqui uma série de reportagens sobre o que o Brexit pode significar.