Battisti chega a Itália após longo processo de extradição pelo Brasil

| Mundo

O italiano Cesare Battisti, condenado por quatro assassínios em Itália na década de 1970, chegou hoje ao aeroporto de Roma diretamente da Bolívia, onde foi capturado depois de ter fugido do Brasil.

Battisti foi recebido por agentes do GOM, o grupo operativo móvel da polícia penitenciária de Itália, que o levará para a prisão de Rebibbia, em Roma.

Battisti foi capturado na cidade boliviana de Santa Cruz de la Sierra no sábado à tarde.

Membro do grupo Proletários Armados pelo Comunismo, uma ramificação das Brigadas Vermelhas, ele foi condenado a prisão perpétua por quatro homicídios entre 1977 e 1979, que nega ter cometido, mas permaneceu em fuga durante perto de 40 anos.

Depois de se ter refugiado em França e no México, instalou-se em 2004 no Brasil, onde viveu até à sua detenção, em 2007.

O Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil aceitou a sua extradição em 2009 numa sentença não vinculatória que deixou a decisão nas mãos do então chefe de Estado, Luiz Inácio Lula da Silva, que a rejeitou a 31 de dezembro de 2010, no último dia do seu mandato.

Desde então, Battisti viveu em liberdade no Brasil, mas em dezembro passado foi de novo ordenada a sua detenção "para fins de extradição", tendo o Presidente Michel Temer assinado o decreto de extradição a 14 de dezembro, data a partir da qual o ex-ativista estava em fuga.

Tópicos:

Proletários Armados, Rebibbia,

A informação mais vista

+ Em Foco

A Festa dos Tabuleiros regressa às ruas da cidade de Tomar. Um longo desfile em que 750 tabuleiros são transportados por mulheres.

    Os líderes europeus não chegaram a acordo sobre quem deve liderar a União nos próximos cinco anos.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.