Cabo Verde saúda feriado "no coração" dos povos de língua portuguesa

| Mundo

O chefe de Estado cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, felicitou hoje Portugal pela passagem dos 44 anos da revolução de 25 de Abril de 1974, considerando tratar-se de um feriado "no coração" dos povos de língua portuguesa.

"Há feriados oficiais - os religiosos e aqueles instituídos pela História e por decreto. Depois, há os que existem nos nossos corações e que fazem de nós cidadãos cúmplices de momentos históricos que vivemos e revivemos, numa comunhão e solidariedade fraterna de liberdade", afirmou Jorge Carlos Fonseca.

Numa mensagem enviada ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, Jorge Carlos Fonseca felicitou "Portugal e o povo português" pela passagem de mais um aniversário do 25 de Abril e pelos 44 anos da Revolução dos Cravos.

"Para nós, cabo-verdianos, e, acredito, todos os povos de língua portuguesa, sobretudo em África e Timor Leste, o 25 de Abril não precisa de ser feriado, porque está e estará para sempre ligado ao nosso novo caminho, às nossas vidas, como povo e Estado soberano, como parte integrante da nossa história", disse.

Terminou a mensagem com a expressão: "Liberdade, sempre!"

A passagem dos 44 anos do 25 de abril foi também saudada no Parlamento pelos deputados cabo-verdianos.

Tópicos:

Fonseca, Revolução, Timor Leste,

A informação mais vista

+ Em Foco

No 20.º aniversário da Exposição Universal sobre os Oceanos, a Antena 1 e a RTP estiveram à conversa com alguns dos protagonistas do evento.

    Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

      Portugal foi oficialmente um país neutro na 2ª guerra Mundial. Mas isso não impediu que quase mil portugueses tivessem sido deportados, feitos prisioneiros ou escravos pelos nazis.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.