Caso não é só bilateral tem implicações na segurança europeia

| Mundo

A embaixadora do Reino Unido em Portugal disse hoje que o caso do envenenamento do ex-espião russo Serguei Skripal em solo britânico não é apenas uma questão bilateral, mas sim um incidente com implicações para "a segurança europeia".

"Isto não é apenas uma questão bilateral, tem implicações também para os outros países da União Europeia (UE), para a segurança europeia", afirmou Kirsty Hayes, numa declaração a jornalistas em Lisboa, poucas horas depois da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, ter acusado no parlamento britânico a Rússia de ser a "culpada" pelo envenenamento do ex-espião Serguei Skripal e da filha Yulia.

No parlamento, May anunciou várias medidas visando a Rússia, incluindo a suspensão de contactos bilaterais de alto nível com Moscovo e a expulsão de 23 diplomatas russos do Reino Unido.

A representante diplomática do Reino Unido em Portugal frisou que foi "um ataque em que um Estado usou uma arma química proibida contra outro Estado", lembrando que foi "a primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial que um agente neurotóxico foi usado de forma hostil na Europa".

"A Rússia tem de ser responsabilizada pela violação de acordos internacionais sobre segurança e a não proliferação, principalmente a convenção contra armas químicas", afirmou Kirsty Hayes.

A informação mais vista

+ Em Foco

A presidente do CNAPN diz que a chave está nos líderes das mesquitas e pede mais apoio do Alto Comissariado para as Migrações.

    Entrevista exclusiva à RTP do candidato à Presidência do Brasil.

    Numa entrevista exclusiva à RTP, Rodrigo Maia também diz que Portugal é uma inspiração para o que pretende fazer no Brasil.

    A RTP falou com os principais responsáveis e tentou perceber como é que os vários Estados se apoiam mutuamente, bem como a importância deste novo espaço em Portugal.