China ameaça EUA com sanções

| Mundo

O MNE chinês, Wang Yi
|

As empresas norte-americanas envolvidas na mais recente venda de aviões de combate a Taiwan poderão ser objecto de sanções por parte da China, anunciou o Ministério dos Negócios Estrangeiros de Pequim. A concretizar-se, a ameaça seria um facto inédito.

O MNE chinês considerou que a venda de 66 aviões de combate à China insular constitui uma "violação grave" dos entendimentos existentes entre Washington e Pequim e, simultaneamente, uma "grave ingerência nos assuntos internos da China", devendo os Estados Unidos "sujeitar-se a todas as consequências" respectivas. O MNE chinês acrescenta que a venda dos aparelhos deverá ser "imediatamente cancelada".

Mais concretamente, o comunicado oficial chinês ameaça que a China irá defender os seus interesses mediante a "aplicação de sanções contra as empresas norte-americanas (...) que estão envolvidas na venda de armas a Taiwan".

A venda dos 66 aparelhos, no valorde oito mil milhões de dólares, é um dos maiores que os EUA alguma vez realizaram com Taiwan. Foi autorizado primeiramente pelo Pentágono e depois pelo Departamento de Estado, tendo também contado com umlobby favorável de congressistas de ambos os partidos.

A informação mais vista

+ Em Foco

A RTP ouviu os seis lideres partidários sobre temas que escapam aos programas políticos e que contribuem para definir o perfil dos candidatos.

    Uma sondagem da Universidade Católica aponta para o fim da hegemonia laranja na Madeira, apesar da vitória do PSD nas regionais (38%) do próximo domingo.

    Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.