Congresso da União Nacional de Trabalhadores de angola adiado para Novembro

| Mundo

O III Congresso da União Nacional dos Trabalhadores Angolanos (UNTA), que deveria começar quinta-feira em Luanda, foi adiado para o início de Novembro, por motivos de "natureza logística", disse hoje à Lusa fonte sindical.

"O congresso da UNTA foi adiado para o início de Novembro devido a problemas de natureza logística", afirmou Manuel Viage, secretário-geral da UNTA, escusando-se a adiantar mais pormenores.

O III Congresso da UNTA, que deverá contar com a participação de cerca de 400 delegados oriundos das 18 províncias de Angola, vai realizar-se nove anos depois da última reunião magna desta central sindical.

Para este encontro foram também convidados sindicalistas portugueses, brasileiros e de alguns países africanos.

O III Congresso da UNTA, que terá como lema "No século XXI na luta permanente pela defesa dos direitos dos trabalhadores", será uma oportunidade para os sindicalistas angolanos analisarem a actual situação no país.

Na perspectiva desta central sindical, as condições sociais e o nível de vida dos trabalhadores "continuam baixos".

A UNTA defende um salário mínimo nacional de 360 dólares, nos termos da proposta que apresentou ao Conselho de Concertação Social, considerando que o actual valor de 50 dólares é insuficiente face ao agravamento do custo de vida em Angola.

A UNTA, fundada em Abril de 1960, integra oito federações de sindicatos, dois sindicatos nacionais, 79 sindicatos provinciais e 11 uniões sindicais, num total de cerca de 160 mil trabalhadores filiados.

Esta estrutura sindical participa em 1.760 comissões sindicais, conta com 1.105 delegados sindicais e possui 9.202 elementos em comissões e delegações sindicais.


A informação mais vista

+ Em Foco

Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

    O desaparecimento do jornalista saudita fragiliza a relação dos EUA com uma ditadura que lhe tem sido útil a combater o Irão e a manter os preços do petróleo.

      Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.

        Faltam seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 29 de março de 2019 é a data para o divórcio. A RTP agrega aqui uma série de reportagens sobre o que o Brexit pode significar.