Reportagem
|

Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

por RTP

Sergio Perez - Reuters

Acompanhamos aqui todos os desenvolvimentos sobre a propagação do SARS-CoV-2 à escala internacional.

Mais atualizações


00h05 - Brasil regista 144.680 óbitos e mais de 4,8 milhões de casos

O Brasil regista um total de 144.680 mortes provocadas pela covid-19 e 4.847.092 casos de infeção, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado hoje pelo Ministério da Saúde.

O país registou 728 óbitos e 36.157 casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo a tutela.

O executivo brasileiro informou ainda que 4.212.772 pessoas já recuperaram da doença e outras 489.640 permanecem sob acompanhamento.

Os estados de São Paulo (35.804), Rio de Janeiro (18.567), Ceará (9.023) e Pernambuco (8.279) têm o maior número de óbitos devido ao novo coronavírus no país sul-americano.

Considerando o número de casos, São Paulo (991.725), Bahia (312.050), Minas Gerais (298.607) e Rio de Janeiro (266.235) são os que contabilizam mais infeções.

23h55 - Sobe para 33 número de infetados em surto no hospital de Beja

O número de profissionais de saúde infetados no surto de covid-19 identificado no bloco operatório do hospital de Beja subiu de 32 para 33, divulgou hoje a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA).

O novo caso de infeção confirmado é o de uma enfermeira, que já estava em quarentena em casa, refere a ULSBA, na atualização da informação relativa ao surto divulgada hoje à noite.

Entre os 33 infetados confirmados, há 15 enfermeiros, nove médicos, seis assistentes operacionais, dois assistentes técnicos e um técnico de diagnóstico e terapêutica, e todos têm "apenas sintomas ligeiros" e estão em isolamento em casa, precisa a ULSBA, que gere o hospital de Beja.

A entidade também informa que subiu de 45 para 58 o número de profissionais de saúde do hospital que estão em vigilância ativa com isolamento profilático de 14 dias.

Trata-se de 31 enfermeiros, 13 médicos, nove assistentes operacionais, quatro técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica e um assistente técnico.

23h45 - Subiu para 49 o número de infetados em lar de Bragança

O número de infetados no lar da Santa Casa da Misericórdia de Bragança subiu para 49, com mais 16 utentes positivos para o novo coronavírus a juntar aos 27 e seis funcionários confirmados na manhã de hoje.

Fonte da Santa Casa da Misericórdia disse à Lusa que ao final da tarde chegaram mais resultados da Autoridade de Saúde com a indicação de que afinal havia mais 16 casos positivos entre os 52 idosos do lar que tinham sido testados na terça-feira.

A Santa Casa da Misericórdia acabou por cancelar a transferência para um hotel da cidade dos idosos que tinham testes negativos porque, em vez de 25, são apenas nove os utentes que não têm infeção e a instituição garante ter condições para os manter em segurança nas instalações.

Tanto idosos como funcionários que testaram positivo "estão assintomáticos", como já tinha garantido hoje o responsável municipal da Proteção Civil e presidente da Câmara de Bragança, Hernâni Dias, que convocou uma reunião de emergência com várias entidades para tratar do caso.

O surto foi descoberto depois de, há alguns dias, uma funcionária ter testado positivo, o que levou a Autoridade de Saúde a testar todos os utentes do Lar Santa Isabel, um dos três lares que funcionam num dos edifícios da Santa Casa da Misericórdia em Bragança.

A direção da Misericórdia foi informada, na quarta-feira à noite, que 27 utentes e seis funcionários tinham testado positivo.

23h25 - PR admite que Fátima está a ser penalizada pela falta de grupos de peregrinos

O Presidente da República admitiu hoje que os empresários de Fátima estão a ser penalizados pela falta de grupos de peregrinos, nomeadamente da Coreia do Sul, Estados Unidos, Polónia ou Itália, na sequência da pandemia de covid-19.

"É evidente que temos aqui um problema não só para as estruturas turísticas, mas um problema para toda a atividade económica relativamente a Fátima e a Ourém - já não falo dos concelhos vizinhos -, que dependem muito do turismo, que infelizmente o externo já não pode viajar hoje", constatou Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República jantou hoje em Fátima com um grupo de empresários, a presidente da Associação Empresarial Ourém-Fátima (ACISO), o presidente do Município de Ourém e o reitor do Santuário, para ouvir as preocupações sobre o impacto da pandemia de covid-19 no setor do turismo religioso do concelho.

Quanto aos peregrinos portugueses, o chefe de Estado referiu que "começaram a vir progressivamente", tal como ele próprio o fez "por duas vezes".

"Da primeira vez havia 100 pessoas em todo o recinto do santuário. Houve muitas a seguir ao desconfinamento e mais tarde haveria já umas centenas de pessoas espalhadas pelo recinto do Santuário", adiantou.

O chefe de Estado salientou que Fátima é um "polo de turismo religioso", mas também de turismo cultural, histórico e patrimonial, que "tem sofrido muito".

23h10 - Cabo Verde já gastou mais de 154 milhões de euros com a pandemia

Cabo Verde já gastou mais de 154 milhões de euros com as medidas de combate e de mitigação dos efeitos do novo coronavírus, representando cerca de 14% do Produto Interno Bruto (PIB), disse hoje o ministro das Finanças.

"Só em relação a 2020, olhando para a toda a intervenção do Estado -- na educação, saúde, proteção dos empregos e produção dos rendimentos -- estamos a falar de mais de 17 milhões de contos (154 milhões de euros), representa cerca de 14% do PIB", disse Olavo Correia.

O ministro, que falava em conferência de imprensa, na cidade da Praia, após ter apresentado a proposta de Orçamento do Estado para 2021 ao presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, disse que são gastos diretos que o país continua a incorrer.

"E a cada dia que a economia continua confinada, os gastos tenderão a aumentar-se", prosseguiu o também vice-primeiro-ministro, que prevê uma "insustentabilidade futura", se o país não conseguir controlar a pandemia.

Neste sentido, pediu a todos para terem um "comportamento adequado", para colocar a propagação do vírus a níveis que sejam suportáveis e pagináveis com as recomendações internacionais.

Cabo Verde vive já uma profunda crise económica provocada pela pandemia, com o setor do turismo, que garante 25% do PIB, parado desde março, com perdas que podem chegar aos 70%.


22h45 - Brasil anuncia análise do primeiro pedido para registo de vacina

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão regulador e de controlo sanitário do Brasil, anunciou hoje que vai começar a análise do primeiro pedido de registo de uma vacina contra a covid-19 no país, formulado pelo laboratório AstraZeneca.

A AstraZeneca está a desenvolver, em parceria com a Universidade de Oxford, um imunizante contra o novo coronavírus.

O Governo brasileiro já tem um acordo para receber 100 milhões de doses desta vacina, designada de Chadox1ncov-19, que também deverá ser fabricada no país pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), se a sua eficácia for cientificamente comprovada.

A análise da Anvisa vai ser feita a partir de um procedimento chamado de "submissão contínua", ou seja, a área técnica da entidade reguladora vai começar a avaliar o primeiro pacote de dados sobre a vacina relativo aos estudos não clínicos.

"Isso não significa que já se possa chegar a uma conclusão sobre a qualidade, segurança e eficácia da vacina, pois muitos dados ainda precisam de ser submetidos a análise", explica a Anvisa num comunicado.

22h16 - Angola regista 142 novos casos e duas mortes pelo novo coronavírus

Angola registou 142 novas infeções e mais dois óbitos, números com os quais soma 5.114 casos positivos e 185 mortes por covid-19, informaram hoje as autoridades sanitárias angolanas.

Segundo o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, os casos foram registados nas províncias da Huíla (01), no Bengo (01) e os restantes em Luanda (140), capital de Angola, sendo 87 homens e 85 mulheres, com idades que variam de 4 a 82 anos.

Nas últimas 24 horas, 141 doentes foram dados como recuperados, passando o país a ter 2.082 pessoas curadas e 2.847 ativos, dos quais 16 estão em estado crítico, 15 graves, 36 moderados, 101 leves e 2.679 assintomáticos.

Nos centros de tratamento, estão a ser assistidos 482 doentes.

Relativamente à testagem, foram processadas, nas últimas 24 horas, 1.123 amostras, das quais 142 foram positivas, apontando o cumulativo para 92.633 amostras processadas, das quais 5.114 positivas.

Uma tabela comparativa dos dois últimos meses sobre novos casos, óbitos e recuperados, indica que em agosto foram registados 1.490 novos casos, enquanto em setembro 2.243, um aumento de 753 casos.

Sobre os óbitos, agosto registou 54 mortes e setembro 74.

21h47 - UEFA fixa em 30% por cento o limite de espetadores para os jogos europeus

A UEFA autorizou hoje o regresso imediato do público aos jogos das competições europeias de futebol, incluindo a Liga dos Campeões, até ao limite de 30% da capacidade dos estádios e de acordo com as autoridades locais.

"O comité executivo da UEFA decidiu autorizar o regresso parcial dos espetadores para os jogos da UEFA, quando a legislação local o permita, já a partir dos jogos de seleções da próxima semana", refere UEFA, em comunicado divulgado no mesmo dia do sorteio da Liga dos Campeões.

A decisão permite um regresso do público nos jogos da Liga dos Campeões e da Liga Europa, cujas fases de grupos se iniciam em 20 e 22 de outubro, mas também para os jogos internacionais da próxima semana, nomeadamente os da Liga das Nações.

Os adeptos visitantes não serão autorizados e os lugares efetivos não poderão passar dos limites fixados pelas autoridades nacionais, esclarece a UEFA.

Desde o final do inverno que os jogos europeus se realizaram à porta fechada, por causa da crise sanitária originada com a pandemia de covid-19, com a exceção da Supertaça Europeia, dia 24 de setembro em Budapeste, que serviu de teste.

Com o limite de 30 por cento da lotação de 68 mil lugares, 15.180 foram autorizados a ver o Bayern derrotar o Sevilha, na capital húngara.

No comunicado, a UEFA classifica a experiência de "sucesso" e fixa como referência os 30 por cento.

"Vai ser obrigatório para os espetadores respeitar a distãncia social e medidas de precaução suplementares, como o uso de máscara, deveráo ser efetivadas, de acordo com a regulamentação local", assegura a UEFA.

"A decisão é um primeiro passo razoável, que privilegia a saúde dos adeptos e o respeito das legislação local", comenta Alexander Ceferin, presidente da UEFA, citado no comunicado.

A Federação Portuguesa de Futebol já anunciou que os próximos jogos de Portugal, contra a Espanha e contra a Suécia, serão com público, mas com limites mais rígidos que o máximo fixado pela UEFA - respetivamente de cinco por cento e dez.

21h45 - França ultrapassa a marca das 32 mil mortes

O número total de mortes provocadas pela covid-19 em França ultrapassou a marca das 32.000, desde o início da crise sanitária em março, de acordo com os dados publicados hoje pelas autoridades sanitárias.

De acordo com as mesmas, 63 pessoas morreram nas últimas 24 horas, aumentando o total para 32.019 óbitos, enquanto o total de casos chegou a 577.505, com 13.970 contágios nas últimas 24 horas.

A taxa de positividade dos testes permanece em 7,6%, contra cerca dos 4% do início de setembro, e estão a ser investigados 1.234 casos de contaminação grupal, ou `clusters`, incluindo 239 em lares.

21h35 - Governo espanhol apresenta ultimato a Madrid para iniciar confinamento

O Ministério da Saúde deu 48 horas à capital e a todas as cidades com mais de 500 casos Covid-19 por 100 mil habitantes para começarem de imediato a confinar as populações. A partir de sábado, só se pode entrar e sair da capital espanhola por motivos de força maior.


21h31 - Turismo. Agosto com quebra de 43,2% em relação ao ano passado

O turismo deu sinais de recuperação em Agosto com a ajuda dos portugueses que optaram por fazer férias cá dentro. Foram registados 1,9 milhões de turistas.


21h25 - Doente de Covid-19 originou surto em aldeia de Alenquer

Um homem contagiou outros dez enquanto jogavam cartas no jardim numa aldeia em Alenquer. Estavam todos sem máscara e têm mais de 50 anos. O surto está controlado e todos cumprem agora isolamento domiciliário. No concelho de Alenquer há no total 65 casos activos.


21h20 - Dois novos surtos de Covid-19 em lares de Trás-os-Montes

Foram hoje conhecidos mais dois novos surtos de covid-19 em lares de Trás-os-Montes. Um tem quatro casos positivos em Salto, Montalegre, e o outro em Bragança, na Misericórdia, onde há já 33 infetados.


21h18 - Covid-19. Dois terços das camas ocupadas nos hospitais de Lisboa

Os internamentos para doentes covid da Região de Lisboa e Vale do Tejo estão a ficar lotados. Dois terços das camas já estão ocupadas. As situações mais graves vivem-se nos hospitais de Loures, São José e Curry Cabral, em Lisboa.


21h15 - Centros de Saúde sob grande pressão

As consultas presenciais foram retomadas, mas a procura é tanta que há filas no exterior de várias unidades de saúde. Utentes que chegam de madrugada desesperados para conseguirem uma simples consulta.


19h47 - Cabo Verde com mais 102 infetados e um morto em 24 horas

Cabo Verde registou 102 novos infetados pelo novo coronavírus e uma morte nas últimas 24 horas, elevando o total acumulado a 6.125 casos de covid-19 desde 19 de março, divulgou hoje o Ministério da Saúde.

Em comunicado, aquele ministério referiu que os laboratórios de virologia do arquipélago processaram 606 amostras desde quarta-feira e 62 deram resultado positivo para o novo coronavírus no concelho da Praia, capital do país, principal foco da pandemia em Cabo Verde.

Ainda na ilha de Santiago foram registados casos positivos de covid-19 nos concelhos de Santa Catarina (8), Ribeira Grande (4), Tarrafal (3), São Lourenço de Órgãos (3), Santa Cruz (2) e São Domingos (1).

No concelho de Santa Catarina registou-se também a 61.ª vítima mortal em Cabo Verde por covid-19 no espaço de seis meses, segundo a informação de hoje do Ministério de Saúde.

Foram ainda diagnosticados desde quarta-feira novos casos positivos da doença nas ilhas do Fogo (10) - incluindo o primeiro caso da doença no município de Santa Catarina do Fogo -, São Vicente (6), Santo Antão (1), São Nicolau (1) e Boa Vista (1).

Nas últimas 24 horas foram também dados como recuperados da doença 61 casos, em todo o arquipélago.

Cabo Verde passa assim a contar com um acumulado de 6.126 casos da doença desde 19 de março, quando foi diagnosticado o primeiro doente com covid-19 no arquipélago, distribuídos por oito das nove ilhas habitadas e 20 dos 22 municípios do país, segundo os dados do Ministério da Saúde.

O arquipélago passa a contar com 725 casos ativos da doença e 5.338 recuperados, enquanto dois infetados, estrangeiros, foram transferidos para os países de origem, além de 61 óbitos por complicações associadas ao novo coronavírus

18h50 - Total de infeções ativas sobe para 67 na Madeira

A Madeira registou seis novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, todos importados, e sinalizou cinco situações suspeitas, anunciou hoje o Instituto de Administração da Saúde (IASAÚDE), referindo que o arquipélago tem agora 67 infeções ativas.

"A região mantém 161 casos recuperados de covid-19, pelo que são 67 os casos ativos, dos quais 58 são casos importados identificados no contexto das atividades de vigilância implementadas no Aeroporto da Madeira e nove são casos de transmissão local", refere a entidade em comunicado.

Os seis novos casos positivos reportados hoje - três provenientes da Polónia, um da França e dois da região Norte de Portugal - elevam para 228 o total de infeções confirmadas no território desde o dia 16 de março.

"Relativamente ao isolamento dos casos positivos, 37 pessoas cumprem isolamento numa unidade hoteleira dedicada, 29 em alojamento próprio e um doente encontra-se internado na Unidade Polivalente dedicada à covid-19 no Hospital (Central do Funchal) Dr. Nélio Mendonça", adianta o IASAÚDE.

À data, 14.499 pessoas estão a ser acompanhadas pelas autoridades de saúde dos vários concelhos da região, com recurso à aplicação 'MadeiraSafe', das quais 6.961 estão em vigilância ativa.

18h45 - Finlândia ultrapassa as 10.000 infeções e aumenta as restrições

A Finlândia ultrapassou hoje os 10.000 casos confirmados da covid-19 desde o início da pandemia que, segundo as autoridades, está em plena fase de aceleração, para a qual o Governo anunciou novas restrições e recomendou uso amplo de máscaras.

O Instituto Nacional de Saúde e Bem-Estar (THL) detetou 1.304 novos contágios nos últimos 14 dias, mais do dobro do número nas duas semanas anteriores, elevando o total para 10.103 casos.

Esse aumento, que eleva o índice de contágios atual para 23,5 por 10.000 habitantes, tem levado as autoridades a aprovar novas medidas de contenção, incluindo o encerramento de espaços de lazer antes das 01:00, já que a maioria dos infetados são jovens.

Por isso, o Governo finlandês estendeu a todo o país a recomendação da utilização de máscaras nos transportes públicos, lojas e outros locais onde não seja possível manter uma distância social mínima, medida em vigor, até agora, apenas nas regiões mais afetadas.

A partir de agora, o uso de máscaras também é recomendado nos locais de ensino médio e superior, tanto nas áreas comuns como nas salas de aula.

Além disso, o governo finlandês apertou ainda mais as restrições às viagens devido ao agravamento da situação epidemiológica global, de modo que a partir de segunda-feira, apenas turistas de três países europeus podem viajar para a Finlândia sem cumprir quarentena: Chipre, Letónia e Liechtenstein.

Fora da Europa, as únicas nações que escapam das restrições de viagens turísticas ao país nórdico são Austrália, Coreia do Sul, Japão, Nova Zelândia, Ruanda, Tailândia e Uruguai, porque não superam o limite de 25 infeções por 100.000 habitantes nas últimas duas semanas.

18h29 - Marcelo afirma que comunidade internacional falhou na pandemia

"A comunidade internacional falhou. Falhou ao descobrir a pandemia tarde demais. Falhou ao mudar de posição sobre a pandemia várias vezes. Falhou quando grandes poderes do mundo decidiram atuar sós", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa na abertura do Fórum La Toja, a decorrer até sábado na ilha de La Toja, Pontevedra, na Galiza, Espanha.

18h21 - Desfasamento do horário para já até 31 de março de 2021

O regime excecional que contempla o desfasamento de horários vigora até 31 de março de 2021, podendo ser prolongado, e os trabalhadores sem transportes públicos que lhe permitam cumprir o horário podem opor-se.

O diploma que estabelece um regime excecional e transitório de reorganização do trabalho como forma de minimizar o risco de transmissão da doença causada pelo novo coronavírus foi hoje publicado em Diário da República, definindo os trabalhadores que estão dispensados de trabalhar de acordo com os novos horários que venham a ser fixados pelo empregador, bem como as condições em que os restantes podem invocar prejuízo sério para se opor ao horário desfasado.

Neste contexto, determina o diploma, considera-se prejuízo sério, "nomeadamente", as situações de "inexistência de transporte coletivo de passageiros que permita cumprir o horário de trabalho em razão do desfasamento" e "a necessidade de prestação de assistência inadiável e imprescindível à família".

De acordo com este regime, o empregador "pode alterar os horários de trabalho até ao limite máximo de uma hora, salvo se tal alteração causar prejuízo sério ao trabalhador", mediante "consulta prévia aos trabalhadores envolvidos e à comissão de trabalhadores ou, na falta desta, à comissão sindical ou intersindical ou aos delegados sindicais".

A alteração do horário deve ser comunicada ao trabalhador "com antecedência mínima de cinco dias relativamente ao início da sua aplicação", determina o diploma, promulgado na quarta-feira pelo Presidente da República, que, na nota publicada no site da Presidência, indica que a decisão teve em conta "que a flexibilização dos horários de trabalho pode contribuir de forma significativa para a redução de riscos de contágio, bem como que a medida é limitada no tempo, vigorando durante seis meses, e que qualquer renovação, se se revelar necessária, será tomada apenas após consulta dos parceiros sociais".

O decreto-lei hoje publicado refere que este "vigora até 31 de março de 2021, sem prejuízo da possibilidade de prorrogação após consulta dos parceiros sociais".

A criação de horários desfasados na entrada e saída como medida de redução do risco de contágio da covid-19 aplica-se a empresas com locais de trabalho com mais de 50 trabalhadores "situadas nas parcelas de território definidas pelo Governo através de Resolução do Conselho de Ministros em função da evolução da situação epidemiológica", devendo os intervalos de desfasamento ter uma duração de trinta minutos a uma hora.

O diploma indica ainda que se deve privilegiar "a estabilidade dos horários" prevendo, por isso, que o empregador não pode efetuar mais do que uma alteração por semana e que a alteração do horário de trabalho não pode exceder os limites máximos do período normal de trabalho nem a alteração da modalidade de trabalho de diurno para noturno e vice-versa.

"A alteração do horário de trabalho deve manter -se estável por períodos mínimos de uma semana, não podendo o empregador efetuar mais de uma alteração por semana", lê-se no diploma, que determina que as regras deste regime excecional se aplicam aos trabalhadores temporários e em regime de prestação de serviços.

Dispensados do desfasamento ficam as trabalhadoras grávidas, puérperas ou lactantes, os trabalhadores menores, com capacidade de trabalho reduzida, com deficiência ou doença crónica e os trabalhadores com menores de 12 anos a seu cargo, ou, independentemente da idade, com deficiência ou doença crónica.

A inclusão dos trabalhadores com dependentes a cargo com deficiência ou doença crónica, independentemente da idade, foi uma das alterações propostas à proposta inicial feitas pela UGT que foram vertidas no diploma final.

18h20 - Linha de emergência para as artes apoiou 314 entidades

Trezentas e catorze entidades foram apoiadas pela Linha de Apoio de Emergência às Artes, tendo o valor inicialmente previsto, de 1,7 milhões de euros, sido reforçado com mais 22 mil euros, disse fonte do gabinete da ministra da Cultura.

Os resultados da Linha de Apoio de Emergência às Artes, um dos apoios de emergência anunciados pelo Ministério da Cultura para ajudar o setor no contexto da pandemia, foram anunciados em 13 de maio. Nesse dia, ficou a saber-se que, das 1.025 candidaturas, 636 foram consideradas elegíveis e, destas, apenas 311 iriam receber apoio, mas, em agosto, ainda faltava pagar a 50 entidades.

Hoje, fonte oficial do Ministério disse à Lusa que foram apoiadas 314 entidades e que a verba atribuída ascende a 1,722 milhões de euros.

No que respeita à linha de apoio social, dotada de 34,3 milhões de euros e destinada a trabalhadores da cultura, os pagamentos começaram a ser feitos há duas semanas, assegurou à Lusa a mesma fonte, escusando-se para já a revelar quantas candidaturas foram apresentadas e adiantando que o número será revelado num balanço final.

Questionada sobre quando está previsto ser feito esse balanço, a mesma fonte não precisou uma data, referindo que os pagamentos deverão estar concluídos dentro de aproximadamente duas semanas (quando deverá ser paga a segunda tranche), mas que não será possível fazer logo um balanço na altura.

O mesmo se aplica às entidades que se candidataram às outras duas linha abrangidas por este apoio social extraordinário: uma orçamentada em três milhões de euros e destinada a entidades artísticas, e outra para a adaptação dos espaços às medidas de contenção da propagação da covid-19, no valor de 750 mil euros.

A linha de apoio social, criada no âmbito do Programa de Estabilização Económica e Social (PEES), previa o pagamento da prestação social aos profissionais, em julho e setembro, de um valor total de 1316,43 euros, que corresponde à prestação atribuída aos trabalhadores independentes (3x 438,81 euros).

A data prevista para o pagamento da primeira tranche foi inicialmente adiada para agosto e depois para setembro. A segunda deverá realizar-se 30 dias depois da primeira, o que significa que deverá ser entregue em meados deste mês.

18h11 - França hesita no próximo passo contra a covid

O ministro francês da Saúde adiou para segunda-feira a decisão definitiva sobre um reconfinamento. Véran admite que a situação é muito preocupante, que se degrada nas grandes cidades francesas onde estão a duplicar as infeções a cada 10 dias.

Os novos casos atingem já todas as categorias da população, sobretudo os mais vulneráveis e as pessoas com mais de 65 anos. Há grande tensão sobre os hospitais.

Paris, Lille, Lyon, Bordéus e Grenoble são as cidades que estão em alerta vermelho escarlate. Ainda assim, o ministro da Saúde adia para depois do fim-de-semana a decisão de reconfinamento.

17h49 - Espanha regista mais de nove mil novos casos, 35% em Madrid

Espanha registou hoje 9.419 novos casos de covid-19, dos quais quase 35% em Madrid, elevando para 778.607 o número total de infetados até agora, segundo números divulgados pelo Ministério da Saúde espanhol.

Por outro lado, o país contabilizou mais 182 mortes com a doença nas últimas 24 horas, aumentando o total de óbitos para 31.973.

Madrid continua a ser a comunidade autónoma com o maior número de novas infeções, tendo adicionado mais 3.227 casos aos números totais de quarta-feira, elevando o número total de infeções para 238.423 nesta comunidade autónoma.

Deram entrada nos hospitais com a doença nas últimas 24 horas 1.280 pessoas, das quais 397 em Madrid, 147 na Andaluzia, 134 na Catalunha e 116 em Castela e Leão.

Em todo o país há 10.559 pessoas hospitalizadas com a doença, dos quais 1.561 pacientes em unidades de cuidados intensivos.

17h36 - Itália regista 2.548 novos casos no último dia, o maior número desde abril

A Itália registou 2.548 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, o maior aumento de infeções desde abril e somou ainda 24 mortes, segundo dados divulgados hoje pelo Ministério da Saúde.

Com este último aumento, o número total de contágios subiu para 317.409 desde o início da emergência sanitária, a 21 de fevereiro, e o número de óbitos subiu também para 35.918.

Para encontrar um aumento semelhante de infeções, de 2.500 num só dia, é preciso recuar até 23 de abril, quando foram confirmados 2.646 casos.

Porém, no último dia foi atingido um recorde de 118.236 exames realizados, muito mais do que o habitual.

Atualmente, existem no país 52.647 pessoas com a covid-19, embora a grande maioria permaneça isolada em casa com sintomas leves ou sem sintomas.

Ao mesmo tempo, aumentam os internados com gravidade e são já 3.388, mais 61 do que na quarta-feira, enquanto 291 pacientes, mais 11 do que no dia anterior, estão internadas em Unidades de Cuidados Intensivos.

17h32 - Académico quer "informação clara" dos governos para evitar manipulações

O académico britânico Adrian Currie sublinhou hoje numa conferência a "extrema importância" de os governos fornecem uma informação clara sobre a atual pandemia e mais meios que evitem a manipulação ou a má informação.

"Temos de entender a informação que temos, manter uma atitude crítica face aos 'media' que temos, a literacia mediática e essas aptidões são muito importantes, e uma questão crítica", assinalou Adrian Currie, docente de filosofia no Departamento de Sociologia, Filosofia e Antropologia da Universidade de Exeter.

O académico britânico exprimia-se na 4.ª Conferência de Lisboa, um evento 'online' promovido pelo Clube de Lisboa e subordinado ao tema "A Aceleração das Mudanças Globais -- e os impactos da pandemia".

"Com a atual situação pandémica, é extremamente importante que os governos forneçam uma informação clara. Gostava que existissem mais meios que evitassem que as pessoas fossem manipuladas ou mal informadas", precisou.

17h25 - Madeira com descidas de 59,8% de hóspedes e de 71% de dormidas em agosto

Os alojamentos turísticos na Madeira registaram em agosto quebras de 59,8% ao nível dos hóspedes e de 71% em relação a dormidas, quando comparado com igual mês do ano anterior, revelou hoje a Direção Regional de Estatística da região (DRAM).

Segundo a estimativa rápida da DRAM, , "em agosto de 2020, o setor do alojamento turístico deverá ter registado a entrada de 58,4 mil hóspedes e 266,1 mil dormidas, o que corresponde a variações homólogas de -59,8% e -71,0%, respetivamente (-79,4% e -86,0% em julho, pela mesma ordem)".

A DREM sublinha que, excluindo o alojamento local com menos de 10 camas, "as dormidas do alojamento turístico apresentam um decréscimo de 72,3% relativamente a agosto de 2019, uma variação mais penalizadora que a verificada a nível nacional (-47,2%)".

A Direção Regional de Estatísticas realça ainda "o diferencial significativo entre os números das dormidas de julho (116,4 mil) e agosto (266,1 mil)".

As dormidas de residentes em Portugal terão diminuído 19,4% (-54,4% em julho) atingindo as 127,1 mil e representando 47,8% do total, enquanto as de não residentes terão decrescido 81,7% (-91,2% no mês anterior), situando-se em 138,9 mil.

Os hóspedes entrados com residência no país terão sido 35,5 mil, o que se traduz num decréscimo de 5,1% (-45,5% em julho) estimando-se os hóspedes não residentes em 22,9 mil (recuo homólogo de 78,7%, menos pronunciado que no mês anterior em que foi de 89,5%).

17h15 - Retomadas as visitas e saídas ao exterior na prisão de Chaves

As visitas e as saídas ao exterior na prisão de Chaves voltaram a ser autorizadas por não se terem detetado novas infeções de covid-19 além dos 11 casos detetados em setembro, adiantou hoje fonte dos serviços prisionais.

"O Delegado de Saúde local já autorizou a retoma das visitas aos reclusos e as suas deslocações ao exterior", explicou à Lusa a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP).

Em 17 de setembro, a DGRSP confirmou que o Estabelecimento Prisional de Chaves, no distrito de Vila Real, tinha 11 casos ativos de covid-19, seis dos quais trabalhadores, que estavam em isolamento em casa, e cinco reclusos, internados no Estabelecimento Prisional do Porto.

Na resposta escrita enviada à Lusa, a DGRSP esclareceu que, para além dos "diagnosticados no primeiro momento", todos os restantes trabalhadores e reclusos "tiveram resultados negativos", num total de 191 testes realizados.

Acrescentou que "ainda não há altas clínicas, aguardando-se indicação das autoridades de saúde para realização dos testes de cura".

Em 24 de setembro, a DGRSP tinha adiantado que as visitas e as saídas ao exterior na prisão de Chaves estavam suspensas apesar de não haver novas infeções.

Em 13 de setembro, dois trabalhadores civis e um guarda prisional do Estabelecimento Prisional de Chaves testaram positivo para o novo coronavírus.

Após testes a todos os trabalhadores e reclusos, conhecidos em 15 de setembro, registaram-se testes positivos em mais três trabalhadores, um civil e dois guardas prisionais, e em cinco reclusos.

17h14 - IATA alerta para fim de muitos postos de trabalho ligados à aviação em África

A maioria dos 7,7 milhões de postos de trabalho relacionados com a aviação em África vai acabar este ano devido ao encerramento do tráfego aéreo por causa da pandemia de covid-19, anunciou a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA).

A organização referiu hoje que os danos causados à indústria aeronáutica africana e às economias pelo encerramento do tráfego aéreo se agravaram.

De acordo com novos dados publicados pelo Grupo de Ação do Transporte Aéreo, a que a IATA pertence, 4,5 milhões de empregos africanos serão este ano perdidos na aviação e nas indústrias apoiadas pela aviação.

"Isto representa bem mais de metade dos 7,7 milhões de postos de trabalho relacionados com a aviação na região", segundo a IATA.

A associação alertou ainda para a perda de 172.000 postos de trabalho na aviação, em 2020, o que representa cerca de 40% dos 440.000 postos de trabalho do setor da aviação na região.

17h12 - Festival Westway LAB em Guimarães em "modo híbrido" por causa da pandemia

A 7ª edição do festival Westway LAB vai decorrer de 14 a 17 de Outubro, em Guimarães, em formato híbrido, com nove concertos presenciais no Centro Cultural Vila Flor e outros 11 apenas no mundo digital.

Em comunicado, A Oficina anuncia que os concertos presenciais serão protagonizados por artistas nacionais e terão lugar no grande auditório daquele Centro Cultural com lugares marcados.

Haverá também a possibilidade de acompanhar a sua transmissão em direto nas redes sociais de A Oficina e do Westway LAB.

O festival reunirá em Guimarães nomes e projetos artísticos como The Legendary Tigerman, Valter Lobo, Mão Morta Redux, Tó Trips, The Lemon Lovers, Miramar, Evols, Seiva e IAN, estes dois últimos em colaboração com a plataforma Why Portugal.

17h05 - Reino Unido registou 6.914 novas infeções e 59 mortes e impõe mais restrições

O Reino Unido registou 6.914 novas infeções e mais 59 mortes de covid-19 nas últimas 24 horas, anunciou o Ministério da Saúde britânico, que hoje também confirmou mais restrições em Liverpool e várias cidades do norte de Inglaterra.

Na quarta-feira tinham sido registados 7.108 novos casos e 71 mortes.

O total acumulado desde o início da pandemia de covid-19 no Reino Unido é agora de 460.178 de casos de contágio confirmados e de 42.202 óbitos num período de 28 dias após um teste positivo.

O ministro da Saúde, Matt Hancock, anunciou mais restrições na cidade de Liverpool, bem como em Warrington, Middlesbrough e Hartlepool, igualmente no norte de Inglaterra, para tentar reduzir taxas de infeção com o novo coronavírus.

Segundo Hancock, em Liverpool foram registados 268 casos por 100 mil habitantes, pelo que o Governo proibiu a socialização entre pessoas de agregados familiares diferentes em espaços interiores, embora seja possível fazê-lo ao ar livre.

16h45 - Covid-19. Setembro registou mais de 18 mil novos casos

Portugal registou nas últimas 24 horas mais seis mortes e 854 novos casos de infeção pelo novo coronavírus. Em termos de novos casos, setembro foi, até agora, o pior mês desde o início da pandemia.


16h41 - Moçambique anuncia mais um óbito e 160 novos casos

Moçambique registou, nas últimas 24 horas, mais um óbito de um paciente com covid-19, elevando o cumulativo para 62, tendo registado ainda 160 novos casos, anunciou o Ministério da Saúde.

A vítima, um moçambicano de 70 anos, morreu hoje, "após o agravamento do seu estado clínico durante o período de internamento numa unidade hospitalar da cidade de Maputo", disse o diretor Nacional para a área de inquérito e monitoria de Saúde, Sérgio Chicumbe, na atualização de dados sobre a pandemia no Ministério da Saúde, em Maputo.

Moçambique registou ainda mais 160 novos casos, elevando o total para 8.888, dos quais 8.593 são de transmissão local e 295 importados.

"Do total de casos registados hoje, a cidade de Maputo tem o maior número, com 110 (69%)", referiu.

As autoridades de saúde anunciaram mais 341 pessoas dadas como recuperadas, o que eleva o total para 5.573(62%), enquanto 51 estão internadas nos centros de isolamento, das quais 30 em estado grave.

"Os pacientes internados padecem de diversas patologias crónicas sendo que a mais frequente é a hipertensão arterial e a diabetes", acrescentou.

Desde o anúncio do primeiro caso, a 22 de março, o país testou cumulativamente um total de 140.310 casos suspeitos.

16h27 - Banco Mundial vai dar 800 mil euros para plano de prevenção de Cabo Verde

O Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD) e a Associação Internacional para o Desenvolvimento (AID), instituições do Banco Mundial, vão dar 800 mil euros ao plano de Cabo Verde de prevenção e controlo à covid-19.

A informação consta de um decreto, aprovado em 24 de setembro pelo Conselho de Ministros de Cabo Verde e publicado hoje, em que o Governo autoriza os termos de um financiamento adicional, na forma de subvenção ao "projeto de resposta de emergência" à covid-19 no arquipélago, por parte das duas instituições, e ainda a assinar.

Trata-se de um subsídio adicional no valor de até cerca de 942 mil dólares (802 mil euros) atribuído ao Plano Nacional de Contingência de Prevenção e Controlo da Covid-19, que o Governo cabo-verdiano lançou em março para implementar "atividades de prevenção, deteção e resposta" ao novo coronavírus, que registou então os primeiros casos.

O plano envolvia a libertação de verbas públicas para a aquisição de material de emergência médica e não médica, como luvas, máscaras cirúrgicas, viseiras ou ventiladores, reforçar a capacidade laboratorial do arquipélago, com o fornecimento de consumíveis essenciais, reagentes e stock de equipamentos para emergências, além da compra de equipamento médico, camas e equipamento cirúrgico.

16h15 - Covid-19. Agência Europeia de Medicamentos inicia avaliação de vacina da AstraZeneca

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA, sigla inglesa) iniciou esta tarde a avaliação da vacina produzida pela farmacêutica AstraZeneca contra a covid-19, processo que surge após os resultados preliminares dos estudos clínicos apontarem a produção de anticorpos.


15h21 - Suécia regista 752 novas infeções nas últimas 24 horas

As autoridades de saúde da Suécia registaram 752 novas infeções pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, o máximo diário no país nórdico desde junho passado.

Com estes números, o registo total de infeções pelo vírus subiu para 92.863, com um número total de 5.893 óbitos.

As autoridades suecas optaram por um modelo mais flexível em termos de medidas contra a pandemia do que outros países equivalentes.

Até agora, as autoridades suecas têm optado por apelos à responsabilidade individual em vez de determinar restrições.

15h18 - Aplicação móvel gratuita assegura intervenção psicológica a quem precise

Uma empresa e duas instituições criaram uma aplicação móvel gratuita que assegura a intervenção psicológica em crise a todos os que dela necessitem no atual contexto de pandemia de Covid-19, foi hoje anunciado.

Em comunicado, os promotores da "Psicovida" explicam que a aplicação coloca utentes a falar diretamente com psicólogos "credenciados", através de videochamada, disponibilizando também diversas estratégias de autoajuda.

A plataforma foi criada ao abrigo de uma parceria entre a empresa OutSystems, a Associação de Psicologia da Universidade do Minho (APsi-UMinho) e investigadores do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), no Porto.

"A Psicovida tem como missão apoiar a comunidade nacional, ao assegurar o acesso equitativo e gratuito a intervenção psicológica no atual cenário da pandemia", sublinha o comunicado.

A aplicação está organizada em módulos especializados, em função das necessidades específicas dos utentes: stresse e ansiedade, perda e luto, idosos e seus familiares, gravidez, apoio na carreira, violência, gestão de dinâmicas e cuidados familiares.

Os promotores sublinham que a comunicação feita através da plataforma "é confidencial e salvaguarda os direitos dos utentes".

15h16 - Açores com dois novos casos nas últimas 24 horas

Os Açores registaram nas últimas 24 horas dois novos casos positivos de covid-19, detetados na sequência de 1.125 análises realizadas nos dois laboratórios de referência da região.

Segundo a Autoridade de Saúde açoriana, estes novos "casos apresentam situação clínica estável, tendo já sido diligenciados, pelas delegações de saúde concelhias, os procedimentos definidos para caso confirmado, testagem e vigilância de contactos próximos, bem como todos os inerentes ao aprofundamento da investigação epidemiológica".

Até ao momento, foram detetados na região 306 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19.

Atualmente há 72 casos positivos ativos na região, dos quais 46 em São Miguel, 11 na Terceira, quatro na Graciosa, cinco no Pico, três no Faial, um em São Jorge e dois na ilha de Santa Maria.

Desde o início da pandemia ocorreram 16 mortes relacionadas com a covid-19, todas em São Miguel.

14h51 - Agência Europeia do Medicamento inicia avaliação de vacina

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA, sigla inglesa) iniciou hoje a avaliação da vacina produzida pela farmacêutica AstraZeneca contra a Covid-19.

O processo inicia-se após os resultados preliminares dos estudos clínicos apontarem a produção de anticorpos.

Em comunicado, a EMA indica que o seu comité sobre medicamentos para uso humano "iniciou a primeira revisão contínua de uma vacina contra a covid-19, que está a ser desenvolvida pela empresa AstraZeneca em colaboração com a Universidade de Oxford".

"O início da revisão contínua significa que o comité começou a avaliar o primeiro lote de dados sobre a vacina, que provêm de estudos laboratoriais", acrescenta a EMA.

14h20 - Mais 854 novos casos e seis óbitos em Portugal

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 854 novos casos de Covid-19 e mais seis óbitos. No total, houve 76.396 casos confirmados em Portugal e já morreram 1.977 pessoas.

Nesta altura há mais de 25 mil casos ativos (25.482, mais 441 nas últimas 24 horas) e ainda mais 407 recuperados (num total de 48.937 recuperados desde o início da pandemia).

Há 45.184 contactos em vigilância, mais 426 do que na quarta-feira.

Houve ainda registo de mais 16 internamentos e mais dois internamentos em unidade de cuidados intensivos (682 pessoas estão internadas e 107 estão em UCI).

Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a região do país com maior número de casos e óbitos: foram registados 415 novos casos e cinco óbitos nas últimas 24 horas. Na região Norte registou-se um óbito e 340 novos casos de Covid-19.

Nas restantes regiões, o Centro tem 54 novos casos desde ontem, enquanto o Algarve regista mais 28. No Alentejo houve mais 10 casos confirmados.

Já nas regiões autónomas, a Madeira contabiliza mais seis casos e os Açores mais um caso.

14h09 - Mais de 34 milhões de infetados no mundo

Pelo menos 34.041.560 pessoas foram infetadas em todo o mundo desde o início da pandemia.

O número de mortos no mesmo período foi de 1.018.634 e pelo menos 23.506.700 pessoas são consideradas curadas, segundo a AFP.

Nas últimas 24 horas registaram-se 6.206 mortos e 304.965 novos casos de Covid-19. Os países que registaram mais mortes no último dia foram a Índia (1.181), o Brasil (1.031) e os Estados Unidos (964).

13h43 - Suécia regista novo máximo desde junho

A Suécia registou 752 novos casos de Covid-19 na quinta-feira, um novo máximo desde junho. Não foram registados óbitos nas últimas 24 horas.

Desde o início da pandemia que o país contabiliza 5.893 mortes por Covid-19.

13h33 - Governo brasileiro vai criar barreiras sanitárias

O Governo brasileiro emitiu esta quinta-feira uma medida provisória para a criação de barreiras sanitárias em áreas indígenas, de forma a evitar o contágio e a disseminação do novo coronavírus na população nativa.

A medida provisória, com força de lei, foi publicada hoje em Diário Oficial da União e assinada pelo chefe de Estado, Jair Bolsonaro, que determinou que as barreiras sanitárias sejam compostas por funcionários públicos ou por militares.

13h26 - Pelo menos 15 infetados em Hospital em Loures

Trata-se do Hospital do Mar, do grupo Luz Saúde. É uma unidade geriátrica e de reabilitação que acolhe doentes que precisam de cuidados continuados.

Onze utentes e quatro profissionais de saúde testaram positivo para o novo coronavírus. Todos estão assintomáticos.


13h04 - I Liga. Adeptos vão estar separados por cinco lugares no primeiro jogo com público

No jogo Santa Clara - Gil Vicente, o primeiro da época com público, os adeptos vão estar separados cinco lugares, mesmo se forem coabitantes.

As normas sanitárias que vão estar em vigor durante o jogo foram anunciadas hoje pelo presidente do Santa Clara, Rui Cordeiro, em conferência de imprensa, no estádio de São Miguel.

12h07 - Açores prolongam situaçao de calamidade em cinco ilhas

O Governo dos Açores decidiu prolongar a situação de calamidade pública devido à covid-19 em Santa Maria, São Miguel, Terceira, Pico e Faial até 15 de outubro.

A decisão foi tomada numa reunião extraordinária do Conselho do Governo realizada na quarta-feira por videoconferência.

11h24 - África ultrapassa as 36 mil mortes

África ultrapassou as 36 mil mortes (36.143) devido à Covid-19 nas últimas 24 horas, com o registo de mais 189 óbitos, num total de 1.481.225 infetados.

Nas últimas 24 horas houve mais 8.792 casos da doença e 6.940 recuperados, para um total de 1.224.397.

10h50 - Alemanha volta a registar mais de 2.500 casos

A Alemanha registou mais de 2.500 novas infeções pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, após 1.798 novos casos na quarta-feira.

O número total de casos positivos desde o anúncio do primeiro contágio no país, no final de janeiro, é de 291.722, com 9.500 mortes, mais doze nas últimas 24 horas.

Cerca de 257.900 pessoas já superaram a doença e o número de casos ativos da doença no país é de 24.300.

10h11 - Polónia com número recorde de infeções diárias

A Polónia registou nas últimas 24 horas mais 1.967 novos casos de Covid-19, um recorde diário no país desde o início da pandemia.

Ao longo da última semana, o país tem registado sempre acima de 1.000 casos por dia.

Desde o início da pandemia, a Polónia registou 93.481 casos de Covid-19 e 2.543 mortes.

9h37 - Dexametasona com luz verde

A Agência Europeia do Medicamento deu parecer favorável ao uso de dexametasona em doentes com Covid-19 que necessitem de suporte ventilatório. A informação foi confirmada por uma nota do Infarmed.

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde acrescenta que a decisão da EMA surge na sequência da revisão dos resultados do estudo RECOVERY, que envolveu o uso deste medicamento no tratamento de doentes internados.

A dexametasona é um medicamento corticosteroide - que começou a ser considerado como um potencial tratamento para a Covid-19 devido à sua capacidade para reduzir a inflamação.

8h58 - Brigadas de intervenção rápida

Começam esta quinta-feira a funcionar as Brigadas de Intervenção Rápida nos lares de idosos. Para já, são 60 enfermeiros e cerca de 200 ajudantes de ação direta.

Estas equipas deveriam ter 400 profissionais, mas houve dificuldades de recrutamento. O Presidente do Instituto da Segurança Social garante que a falta de profissionais não compromete a eficácia das brigadas.

8h19 - Índia regista mais 1.181 mortes e 86.821 casos

A Índia registou 1.181 mortes provocadas pelo novo coronavírus e 86.821 casos nas últimas 24 horas.

Desde o início da pandemia, a Índia contabilizou 98.678 mortos e mais de 6,3 milhões de casos.

O país registou 41% dos seus casos confirmados e 34% das mortes só no mês de setembro, esperando-se que em algumas semanas ultrapasse os Estados Unidos, atualmente o país com mais infetados (mais de 7,2 milhões).
Covid-19. Começam a funcionar as Brigadas de Intervenção Rápida nos lares de idosos

Para já, são 60 enfermeiros e cerca de 200 ajudantes de ação direta. Os médicos e os psicólogos vão ter um papel preventivo e só vão ser chamados em caso de necessidade.

Estas equipas deveriam ter 400 profissionais, mas houve dificuldades de recrutamento. A ministra da Saúde Marta Temido garante que estão a ser feitos todos os esforços para conseguir dotar as brigadas de todos os profissionais previstos.

O último boletim epidemiológico para mais oito mortos e mais 825 casos de infeção.

Foram internadas mais cinco pessoas. São agora 666. 105 doentes estão internados em unidades de cuidados intensivos, mais seis do que na véspera.
Santuário de Fátima vai ter peregrinos no 13 de outubro
A lotação máxima será de seis mil pessoas.

O acesso será feito por oito entradas e apenas nos corredores assinalados.

Haverá áreas circulares de ocupação e em cada círculo poderá estar apenas um número limitado de pessoas.

A 13 de setembro, o acesso ao Santuário foi bloqueado quando o local atingiu a lotação máxima permitida.