Damasco denuncia novos lançamentos de mísseis

| Mundo

Polícias sírios fotografados nas ruas de Douma, em Ghouta Oriental, onde terá ocorrido o ataque químico que levou aos bombardeamentos do último fim de semana
|

As estruturas militares sírias afirmam ter intercetado vários mísseis junto a duas base militares, uma na região de Homs e outra a nordeste da capital Damasco.

O alegado ataque ocorreu pouco de depois das 23h00 em Portugal continental, 1h00 desta terça-feira na Síria. A informação foi veiculada pela televisão estatal síria.

Falta saber quem lançou os mísseis, já que o Pentágono rejeitou qualquer responsabilidade no ataque.

Fontes próximas do Governo sírio admitem a hipótese de os mísseis terem sido lançados por Israel.

Israel já veio dizer que não comenta e acrescenta que já tinha atacado território sírio há menos de uma semana, tal como os Estados Unidos, Grã-Bretanha e França que dispararam mais de meia centena de mísseis de cruzeiro Tomahawk, em resposta a um presumível ataque com armas químicas por parte das forças governamentais sírias.

Tópicos:

Antiaéreas, Bases, Damasco, Defesas, Militares, Mísseis, Síria,

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.