Damasco denuncia novos lançamentos de mísseis

| Mundo

Polícias sírios fotografados nas ruas de Douma, em Ghouta Oriental, onde terá ocorrido o ataque químico que levou aos bombardeamentos do último fim de semana
|

As estruturas militares sírias afirmam ter intercetado vários mísseis junto a duas base militares, uma na região de Homs e outra a nordeste da capital Damasco.

O alegado ataque ocorreu pouco de depois das 23h00 em Portugal continental, 1h00 desta terça-feira na Síria. A informação foi veiculada pela televisão estatal síria.

Falta saber quem lançou os mísseis, já que o Pentágono rejeitou qualquer responsabilidade no ataque.

Fontes próximas do Governo sírio admitem a hipótese de os mísseis terem sido lançados por Israel.

Israel já veio dizer que não comenta e acrescenta que já tinha atacado território sírio há menos de uma semana, tal como os Estados Unidos, Grã-Bretanha e França que dispararam mais de meia centena de mísseis de cruzeiro Tomahawk, em resposta a um presumível ataque com armas químicas por parte das forças governamentais sírias.

Tópicos:

Antiaéreas, Bases, Damasco, Defesas, Militares, Mísseis, Síria,

A informação mais vista

+ Em Foco

A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

O economista guineense Carlos Lopes, em entrevista à RTP, considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.