"Deixe-me finalmente ver o meu filho". Mãe exige a Putin devolução do corpo de Navalny

por Andreia Martins - RTP
Canal de Alexei Navalny no Youtube via Reuters

A mãe de Alexei Navalny exigiu esta terça-feira que lhe seja devolvido o corpo do opositor russo para que este possa ser enterrado "com humanidade". O pedido de Lyudmila Navalnaya teve como destinatário direto o presidente russo, Vladimir Putin.

“Faço-lhe este apelo, Vladimir Putin. A resolução deste problema depende apenas de si. Deixe-me finalmente ver o meu filho”, pediu a mãe de Alexei Navalny numa mensagem de vídeo publicada esta terça-feira.

O vídeo em causa foi gravado junto à prisão no Ártico, na região de Yamal, onde Alexei Navalny, de 47 anos, cumpria uma pena de 19 anos de prisão. O principal opositor do regime russo morreu a 16 de fevereiro, tendo sido vítima de “síndrome de morte súbita”, segundo informaram as autoridades russas.

Desde sexta-feira que a família e advogados de Navalny tentam aceder ao corpo do opositor russo, um processo que poderá levar pelo menos mais duas semanas, indicou Kira Iarmich, porta-voz de Alexei Navalny.

“Pelo quinto dia não o posso ver, não me entregam o seu corpo e nem sequer me dizem onde ele está”
, lamenta Lyudmila Navalnaya na gravação hoje divulgada. A mãe de Navalny exige que o corpo seja “imediatamente entregue” para “que o possa enterrar com humanidade”.
“Não façam perguntas sobre mim, mas sobre Alexei”
O vídeo de Lyudmila Navalnaya foi publicado esta terça-feira na rede social X, mais especificamente na conta de Yulia Navalnaya, viúva do opositor russo.

Na segunda-feira, a própria mulher de Alexei Navalny tinha publicado um vídeo onde acusava Vladimir Putin de ter matado o marido com uma substância química. Na mesma mensagem, Yulia Navalny prometia continuar a luta do marido por uma “Rússia livre”.

Hoje, o porta-voz do Kremlin, considerou que as acusações de Yulia são “infundadas e vulgares”.

Dmitry Peskov disse não conhecer o vídeo em causa e que “leva em conta o facto de que Yulia Navalnaya ter ficado viúva há poucos dias”.

Em resposta, a mulher de Navalny exigia às autoridades que lhe entregassem o corpo do marido.

“Não me importa como é que o secretário de imprensa do assassino comenta as minhas palavras. Devolvam o corpo de Alexei e permitam que seja enterrado com dignidade, não impeçam as pessoas de se despedirem dele. E peço mesmo a todos os jornalistas que ainda possam continuar a fazer perguntas: não façam perguntas sobre mim, façam perguntas sobre Alexei”, pediu Yulia Navalnaya.
X suspende e reabre conta de viúva do opositor
A conta de Yulia Navalnaya na rede social X foi criada na segunda-feira, dia em que a mulher de Alexei Navalny anunciou que pretendia continuar a luta política do marido, lançando acusações contra Vladimir Putin naquela plataforma

Hoje, a conta de Yulia esteve suspensa durante cerca de uma hora por alegada violação das regras de utilização, tendo sido reativada pouco tempo depois.

Antes da reabertura da conta, a equipa próxima do opositor russo exigiu à X e a Elon Musk, proprietário da plataforma, que explicasse exatamente quais as regras que foram violadas por Yulia Navalnaya.

A equipa de segurança do antigo Twitter esclareceu entretanto que o “mecanismo de defesa da nossa plataforma contra manipulação e spam sinalizou erradamente” a conta de Yulia Navalnaya como violação das regras.


“Cancelámos a suspensão da conta assim que tomámos conhecimento do erro e vamos atualizar a nossa defesa”, acrescenta num post na própria rede social.

Thierry Breton, comissário europeu do Mercado Interno, alertou entretanto contra as suspensões “arbitrárias” de contas na rede social X.

Numa reunião com a diretora-geral da X, Linda Yaccarino, o comissário diz ter assinalado que “a suspensão arbitrária de contas – voluntária ou não voluntária – não é aceitável”.

“A UE defende a liberdade de expressão e a segurança online”, escreveu o comissário francês na rede social X.
pub