Detido presumível autor do ataque ao autocarro do Borussia Dortmund

| Mundo

A polícia alemã acredita que o motivo do ataque foi financeiro e não “terrorista”
|

A polícia alemã deteve esta sexta-feira o presumível autor do atentado à bomba contra o autocarro da equipa de futebol do Borussia Dortmund, confirmou a Procuradoria Federal. O suspeito é “um germano-russo de 28 anos”, identificado como Sergei V. O motivo terá sido financeiro.

“A Procuradoria Federal ordenou hoje, 21 de abril de 2017, a detenção de um cidadão germano-russo de 28 anos, Sergei V, por agentes do GSG9”, anunciaram em comunicado as autoridades alemãs, referindo-se à unidade de elite das forças de segurança.O ataque de 11 de abril feriu Marc Bartra, defesa espanhol do Borussia Dortmund.

Ainda segundo a Procuradoria, o homem com dupla nacionalidade investiu em opções de venda de ações do Borussia Dortmund antes do ataque, na expectativa de obter lucros rápidos. Está acusado de tentativa de homicídio.

Os investigadores estabeleceram que Sergei V. comprou 15 mil opções de venda de ações do Dortmund a 11 de abril, o dia em que o autocarro do clube germânico foi visado por três explosões, quando se dirigia ao estádio Signal Iduna Park para o encontro da Liga dos Campeões contra os franceses do Mónaco.

O suspeito havia obtido, na semana anterior, um crédito ao consumo, tendo em vista a operação bolsista. Caso as ações se desvalorizassem abruptamente, explica a Procuradoria alemã, Sergei V. teria encaixado um lucro “várias vezes superior ao investimento inicial”.


Além do jogador espanhol Marc Bartra, que teve de ser operado ao pulso direito, as explosões causaram ferimentos ligeiros a um agente da polícia que acompanhava numa mota o trajeto do autocarro do clube.

Após o ataque, as autoridades alemãs detiveram um iraquiano de 26 anos, posteriormente libertado por falta de indícios que permitissem uma acusação formal. No local das explosões foi também encontrada uma carta de reivindicação a sugerir uma pista de extremismo islâmico, cuja credibilidade foi quase de imediato questionada.

Tópicos:

Alemanha, Ataque, Borussia, Dortmund, Explosivos, Polícia, Procuradoria, Suspeito,

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    O incêndio de Pedrógão Grande provocou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 pessoas feridas. Revisitamos os últimos dias com fotografias e imagens aéreas captadas com recurso a um drone.

      É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

      Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.