Diretora da UNESCO saudou "muito boa cooperação com Angola"

| Mundo

|

A diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, saudou, hoje, em Paris, "a muito boa cooperação com Angola" durante a visita à instituição do presidente angolano, João Lourenço, na sua primeira etapa da deslocação oficial a França.

Esta foi a primeira vez que um chefe de Estado angolano visitou a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e foi o primeiro ponto da agenda da também primeira visita oficial de João Lourenço a França.

"Estamos muito felizes por ter escolhido a UNESCO para começar a sua visita a França. Temos uma muito boa cooperação com Angola e toda a nossa equipa está disponível para acompanhar os diferentes projetos", declarou a diretora-geral da instituição no início de uma curta reunião com João Lourenço.

No final, em declarações à agência Lusa e à RFI, Audrey Azoulay sublinhou que a escolha da UNESCO como primeira etapa da visita bilateral "é um sinal visível da importância que o presidente angolano dá a esta instituição".

Audrey Azoulay acrescentou que falou com João Lourenço sobre "as áreas nas quais a UNESCO pode acompanhar Angola", nomeadamente ao nível de formações científicas e ao nível cultural.

"No ano passado, houve a inscrição do importante sítio arqueológico de Mbanza Congo e continuamos a trabalhar nisso, não apenas com Angola, mas também com os países fronteiriços. É um trabalho de reconhecimento da história e também de um potencial desenvolvimento económico sustentável. Além disso, Angola pretende apresentar outras candidaturas para a inscrição no Património Mundial da Humanidade", afirmou.

A UNESCO classificou, a 08 de julho de 2017, o centro histórico da cidade de Mbanza Congo, antiga capital do Reino Congo, como património Mundial da Humanidade, a primeira classificação do género em Angola.

As próximas candidaturas que o Governo angolano pretende avançar são o corredor do rio Kwanza, as gravuras de Tchitundu-Hulu e a cidade de Cuito Cuanavale, tendo a receção da diretora da UNESCO sido "muito boa", de acordo com a ministra angolana da Cultura, Carolina Cerqueira.

"Foi muito boa. Ela garantiu que vai continuar a ajudar Angola a desenvolver esses projetos para bem do Património Mundial, para a valorização da História africana e para a afirmação de Angola como um país importante da conjuntura da UNESCO", afirmou a ministra à Lusa e à RFI.

Além da "continuação da cooperação entre Angola e a UNESCO, sobretudo no domínio da preservação, valorização do património nacional", Carolina Cerqueira adiantou que na reunião se falou sobre "a cultura da paz pela experiência que Angola tem e que poderá servir de exemplo na região africana, questões ligadas à igualdade do género e educação, formação de quadros e bolsas de estudo".

Esta manhã, o presidente angolano vai a uma Escola Politécnica, depois desloca-se ao Museu Militar - Hôtel National des Invalides, onde decorrem as cerimónias oficiais de boas-vindas, com os hinos nacionais dos dois países, na presença do ministro da Agricultura francês, Stéphane Travert, do governador militar de Paris e da delegação oficial angolana.

Ao início da tarde, o chefe de Estado angolano vai ser recebido e vai almoçar com o homólogo francês, no Palácio do Eliseu, onde os presidentes vão assinar acordos de cooperação no domínio da Defesa, da Agricultura, da Economia e da formação de quadros.

Esta tarde, João Lourenço vai deslocar-se à Assembleia Francesa, onde vai ser recebido pelo presidente do Parlamento, François de Rugy.

Depois, o presidente angolano dirige-se à sede do Movimento das Empresas de França (MEDEF), onde está prevista a assinatura de acordos entre a Sonangol e a Total, assim como um encontro com cerca de 80 empresários franceses e 20 angolanos, e, no final do dia, vai à Embaixada de Angola em França.

Esta terça-feira, o presidente de Angola desloca-se à cidade de Toulouse, no sul de França, onde vai visitar, de manhã, as fábricas da ATR e da Airbus e, à tarde, o Liceu Agrícola e o Instituto Nacional de Pesquisa Agronómica, em Auzeville, a Cooperativa Agrícola Arterris, em Castelnaudary, e se vai reunir com uma representação da comunidade angolana residente em França.

Na quarta-feira de manhã, a agenda fecha com uma entrevista coletiva à revista económica Valeurs Actuelles e aos jornais Le Monde e Le Figaro e uma entrevista ao canal de televisão Euronews.

A França é a primeira visita oficial de João Lourenço a um país ocidental, depois de ter realizado visitas a vários países africanos, como África do Sul, República Democrática do Congo, Zâmbia ou Namíbia desde que foi empossado como terceiro Presidente da República de Angola, em Setembro de 2017.

Tópicos:

Airbus, Democrática Congo Zâmbia, Le Monde, Lourenço, Pesquisa Agronómica Auzeville Cooperativa Agrícola Arterris, Rugy, UNESCO Audrey Azoulay,

A informação mais vista

+ Em Foco

Raptos e assassínios de opositores em países estrangeiros, levados a cabo pelos serviços secretos, têm um longo historial.

Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.