Forte sismo de 7.5 sacudiu a Cidade do México

| Mundo

|

Foi um tremor prolongado que trouxe os habitantes da Cidade do México para a rua em pânico. O epicentro do sismo terá sido no estado de Oaxaca, perto da costa do Pacífico.

Os serviços sismológicos mexicanos publicaram na rede social Twitter os pomenores registados preliminarmente.

De acordo com o serviço de vigilância norte-americano, USGS, o abalo ocorreu pouco antes das seis da tarde locais (mais seis horas em Portugal) a 43 quilómetros de profundidade e a dois quilómetros a sueste de Pinotepa de Don Luis, no estado de Oaxaca.

A área já tinha sido afetada por um grande sismo em setembro passado, que causou pelo menos 286 mortos e o colpaso de vários edifícios além de estragos avultados.

O abalo de hoje foi sentido durante vários segundos na capital do México. De acordo com a agência Reuters, o tremor de terra fez abanar violentamente vários edifícios.

Jornalistas mexicanos que testemunharam o corrido dizem que alguns prédios mais altos oscilaram durante mais de um minuto.

Milhares de pessoas juntaram-se nas ruas já apinhadas de foliões que se tinham juntado para celebrar o ano novo chinês.

O abalo sentiu-se também noutros pontos do país, como Oaxaca e Guerrero, e até mesmo na vizinha Guatemala.

Apesar da violênciado do tremor de terra, não foi emitido nenhum alerta de tsunami, nem o Serviço Nacional de Proteção Civil do país emitiu relatórios de vítimas ou de estragos.

O Presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, divulgou na rede social Twitter que devido ao sismo foram ativados os protocolos da Proteção Civil. Também o governador da Cidade do México anunciou a ativação do Protocolo de Revisão da capital, que acompanha este tipo de emergências.

Nas redes sociais a maioria dos comentários referia que o abalo se "sentiu mesmo forte" mas sem referir vítimas ou estragos significativos.

A informação mais vista

+ Em Foco

No mês do Mundial de futebol a RTP faz uma radiografia da vida na Rússia.

    Entrevista a António Mateus para o programa "Olhar o Mundo". Veja aqui.

    Um olhar aos altos e baixos da relação entre o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un.

      Dados revelados no Digital News Report de 2018 do Reuters Institute.